Avião desaparecido foi desviado de rota intencionalmente, diz primeiro

Até o momento, especialistas localizaram o último ponto de contato entre dois grandes corredores geográficos: um ao Norte e outro ao Sul

iG Minas Gerais | Da Redação |

This photo provided by Laurent Errera taken Dec. 26, 2011, shows the Malaysia Airlines Boeing 777-200ER that disappeared from air traffic control screens Saturday, taking off from Roissy-Charles de Gaulle Airport in France. The Malaysia Airlines Boeing 777-200 carrying 239 people lost contact with air traffic control early Saturday morning, March 8, 2014 on a flight from Kuala Lumpur to Beijing, and international aviation authorities still hadn't located the jetliner several hours later. (AP Photo/Laurent Errera)
Associated Press
This photo provided by Laurent Errera taken Dec. 26, 2011, shows the Malaysia Airlines Boeing 777-200ER that disappeared from air traffic control screens Saturday, taking off from Roissy-Charles de Gaulle Airport in France. The Malaysia Airlines Boeing 777-200 carrying 239 people lost contact with air traffic control early Saturday morning, March 8, 2014 on a flight from Kuala Lumpur to Beijing, and international aviation authorities still hadn't located the jetliner several hours later. (AP Photo/Laurent Errera)
O avião da Malaysia Airlines voou durante horas de forma “consistente com uma ação deliberada” após desaparecer dos radares, mas não foi possível confirmar a hipótese de sequestro, disse o primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, neste sábado (15). A última comunicação por satélite com o avião, que transportava 239 pessoas, chegou mais de seis horas e meia depois de ter desaparecido do radar, explicou Razak neste sábado.   O movimento da aeronave no período intermediário – durante o qual mudou de direção e seguiu rumo ao Oceano Índico – é “consistente com uma ação deliberada de alguém no interior do avião”, disse o primeiro-ministro, indicando que os sistemas de transmissão de dados do Boeing 777 "foram desativados".   Apesar das indicações de que o avião tenha sido sequestrado, o primeiro-ministro da Malásia foi claro ao dizer que outras razões para o sumiço ainda não estão descartadas. " Continuamos a investigar todas as possibilidades relativamente ao que terá levado o [voo] MH370 a desviar-se da sua trajetória", acrescentou. Najib Razak disse que as últimas avaliações têm como base novos dados de contato com o avião por satélite e informações colhidas por radares militares.   A combinação dessas informações sugere "um elevado grau de certeza" de que os dois sistemas de comunicações automatizados do avião - o Acars (Aircraft Communications Addressing and Reporting System) e o seu transponder - foram desligados, um seguido do outro, antes de alcançar o ponto acima do mar do Sul da China, onde o radar civil perdeu o contato.   O aparelho inverteu então a marcha e voou em direção a Oeste de regresso à Malásia peninsular antes de virar para Noroeste.   Considerando que a última comunicação por satélite com o avião da Malaysia Airlines chegou às 8h11 locais – e que o voo decolou à 1h30 -, os investigadores tentam agora calcular até onde o Boeing 777 pode ter chegado.   Até o momento, especialistas localizaram o último ponto de contato entre dois grandes corredores geográficos: um ao Norte - que se estende da fronteira do Cazaquistão e do Turquemenistão até o Norte da Tailândia - e outro ao Sul - que vai da Indonésia ao Sul do Oceano Índico.   Agência Brasil

Leia tudo sobre: Malaysia Airlinesaviãodesaparecido