‘Evitar a vacina não traz nenhum benefício’

Sérgio Triginelli - professor de ginecologia e obstetrícia da UFMG

iG Minas Gerais |

A vacinação contra o HPV de meninas com idades entre 11 e 13 anos despertaria nelas o interesse sexual de forma precoce? Não. Muito além de apenas expor as jovens aos problemas relacionados ao sexo, é uma oportunidade de esclarecer às famílias o que é o HPV e de abrir um diálogo em torno do assunto. O fato de se evitar a vacinação não traz nenhum tipo de benefício para a criança ou a adolescente. O HPV é uma questão de saúde pública efetiva e, evitando-a, as pessoas estão prevenindo uma série de complicações futuras.

A vacina é a melhor opção para a prevenção do câncer de colo de útero? Sim, pois ela previne a infecção pelo Papiloma Vírus Humano, o principal causador do câncer de colo de útero. Porém, não é a única forma de prevenção: há o exame de papanicolau e a camisinha. Lembrando que a vacina não protege contra outros tipos de doenças sexualmente transmissíveis. (FC)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave