Madrugadas têm música alta, surfe em ônibus e pichação

iG Minas Gerais |

Pichação faz parte do cenário visto por quem visita a praça do Papa
fotos mariela guimarães
Pichação faz parte do cenário visto por quem visita a praça do Papa

De acordo com Renata Borja, 41, uma das idealizadoras do Movimento Mangabeiras-Sudoeste Unido, existem outros problemas na praça do Papa. Jovens surfando sobre os ônibus, ouvindo música em volume alto e fazendo gritaria de madrugada são as principais reclamações. “Motoqueiros que se articulam pelas redes sociais chegam como um arrastão, em grupos de 30, 40. É um afrontamento aos moradores do bairro. Eles vêm gritando, subindo na contramão”, afirma.

Pichações também são comuns em vários pontos da praça, sobretudo nos monumentos, bem como nos bancos e no piso, que também apresentam rachaduras. O gramado, por sua vez, fica repleto de lixo deixado pelos visitantes. “Numa praça escura e malcuidada, o marginal se sente convidado a fazer cada vez mais. Isso é inadmissível”, afirma Renata.

Recentemente, uma audiência pública foi feita para discutir os problemas e propor soluções aos órgãos públicos. De acordo com o major Fabiano Rocha, desde janeiro, ações são feitas no local para abordar frequentadores e revistar carros e motos.

Durante os dias de semana, blitze são montadas na subida da avenida Agulhas Negras, que dá acesso à praça. Aos fins de semana, a polícia afirma que grandes operações estão sendo feitas até durante a madrugada.

“Estamos evitando o ‘rolezinho’ de moto, apreendendo veículos irregulares e detendo condutores alcoolizados. Não temos volume expressivo de prisões, mas a presença da PM tem coibido a presença de infratores. Tentamos fazer a presença da polícia mais visível nos locais”, comenta o major que, no entanto, não divulgou o número de prisões e apreensões. (PVP)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave