PR faz jogo eleitoral duplo

Sigla pretende apoiar o tucano Pimenta da Veiga em Minas e a reeleição da petista Dilma Rousseff

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

Aelton Freitas quer que direção nacional libere apoios nos Estados
Diógenes Santos/Ag Câmara - 1.12.2010
Aelton Freitas quer que direção nacional libere apoios nos Estados

Depois de receber o apoio formal do PSD, o pré-candidato ao governo de Minas pelo PSDB, ex-ministro Pimenta da Veiga, está próximo de conseguir a adesão de outro partido para a disputa de outubro. Nesta sexta-feira, integrantes da executiva estadual do PR se reuniram em Belo Horizonte para discutir os rumos nas eleições deste ano. E, segundo o presidente estadual da sigla, deputado federal Aelton Freitas, a tendência é permanecer na base do governador Antonio Anastasia (PSDB).

O encontro reuniu todos os deputados federais e estaduais do partido, além de pré-candidatos à Câmara dos Deputados e à Assembleia Legislativa. “O PR está há 12 anos apoiando o governo do PSDB em Minas e nunca se colocou em outra posição. A tendência é que a gente permaneça onde está. São conversas que estão evoluindo”, garante Freitas, que há 20 dias se reuniu com Anastasia para discutir as condições de permanência na aliança estadual.

O PR é mais uma partido em Minas que deverá fazer “jogo duplo” nas eleições deste ano, já que, nacionalmente, a legenda se encaminha para apoiar mais uma vez a presidente Dilma Rousseff (PT), e, em Minas, estará ao lado dos tucanos. O mesmo caminho deverá ser seguido pelo PP.

Nesta sexta-feira, o dirigente do partido disse não ver problema na situação. Segundo ele, a direção nacional do PR deverá liberar os Estados para as composições que classificarem como ideal, o que, para o deputado, não interfere no apoio ao PT. “Sabemos que, neste ano, a situação é um pouco distinta, porque teremos um mineiro candidato à Presidência da República. Queremos estar com o senador e apoiá-lo em Minas. É a melhor forma”, diz Freitas.

O discurso adotado pelo PR mineiro é semelhante ao do PSD, que declarou anteontem seu apoio ao PSDB. Segundo o presidente do partido, Paulo Safady, estar ao lado dos tucanos “não muda em nada a postura do partido em nível nacional”.

Condições. Apesar dos discursos pró-governo, os integrantes do PR deixaram claro ontem que não aceitarão perder espaços no Palácio Tiradentes. Atualmente, o partido comanda a Secretaria de Desenvolvimento Regional e Política Pública, com Bilac Pinto. Nesta sexta-feira, o comandante da pasta esteve no partido e prometeu trabalhar pelo crescimento do partido em Minas.

Segundo lideranças do PR, já foram colocadas condições para a aliança. A primeira delas é o comando de uma segunda secretaria, além da garantia da coligação proporcional para a Câmara dos Deputados. Já na Assembleia, a ideia é lançar uma chapa pura para ampliar o número de cadeiras.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave