Brasileiros de olho lá fora

Cresce o número de intercambistas brasileiros e o Canadá é o país mais procurado para estudar no exterior

iG Minas Gerais | João Paulo Costa |

Aperfeiçoar um segundo idioma. Ter contato com outras culturas e com pessoas diferentes. Ampliar a visão de mundo. Os motivos são muitos, e o número de brasileiros que buscam fazer um intercâmbio no exterior só aumenta. Tanto que, no ano passado, mais de 200 mil foram estudar no exterior, conforme pesquisa da Associação Brasileira de Organizadores de Viagens Educacionais e Culturais (Belta).

Para este ano, a estimativa é a de que mais de 230 mil pessoas façam intercâmbio. Felipe Augusto Lopes Veloso, 20, é um dos que vão engrossar a lista de estudantes lá fora. “Estudo administração e, visando me aprimorar profissionalmente, farei um intercâmbio. Espero que os R$ 14 mil investidos me rendam bons frutos. Quero voltar ao Brasil falando um inglês perfeito e com boas histórias sobre a Cidade do Cabo, de Nelson Mandela, para contar. Aspectos históricos, políticos e culturais me fazem querer muito ir para lá”.

Estudo

A pesquisa da Belta apontou, também, que os cursos de idiomas são os mais procurados, com 60% das demandas, seguidos de high school (ensino médio no exterior), com 13,4, e, depois, vêm os programas de férias, com 7,3%.

No quesito idade, apurou-se que a faixa etária predominante vai de 18 a 30 anos. Contudo, é cada vez maior o número de executivos que querem se aprimorar no exterior, assim como de pessoas da melhor idade, que, para não ficarem ociosas, também optam pelo estudo de uma língua no exterior.

“Se antes tínhamos apenas estudantes do ensino médio buscando os nossos programas estudantis de viagem, hoje, temos um público cada vez mais heterogêneo: jovens recém-formados, empresários, altos executivos e até pessoas que já passaram dos 60 anos. Há também pessoas que estão de férias e que desejam aproveitar o período fazendo cursos intensivos de inglês”, confirma a gerente de operações da Tia Eliane Turismo, Luciana Boechat.

Trabalho

Conciliar estudo e trabalho no exterior é outra grande procura do segmento. Há vagas para profissionais em diversas áreas, incluindo as de turismo, hotelaria e, entre outras, a gastronomia. “Viajei para o Texas em 2013 por um programa de intercâmbio promovido pela agência Globe Trotter, que fez uma seleção de candidatos para trabalhar em acampamentos de verão por três meses. As passagens foram todas custeadas e eu fiquei em casas de famílias. Aprendi muita coisa, melhorei o meu inglês e o meu gasto foi mínimo”, afirma Tatiane Mendonça, que retornou no fim de 2013.

Destinos preferidos

Entre os países preferidos estão: Canadá, EUA e Reino Unido. Austrália, África do Sul, Irlanda e Nova Zelândia estão, segundo pesquisa, em ascensão.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave