Judô brasileiro soma mais dois ouros nos Jogos Sul-Americanos

Claudirene Cezar, da categoria pesado, conquistou primeira posição, na última luta, após adversária não aparecer no tatame

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Ouro no feminino veio após três vitórias e uma desistência
VALTER FRANÇA - CBJ
Ouro no feminino veio após três vitórias e uma desistência

A equipe brasileira de judô conseguiu importantes resultados nesta sexta-feira durante os Jogos Sul-Americanos que acontecem em Santiago, no Chile.

Dois ouros e um bronze foram somados com Claudirene Cezar, David Moura, na categoria pesado, além de Rafael Buzacarini, na categoria meio-pesado.

Depois de vencer as três primeiras lutas por ippon, Cezar não teve nenhum trabalho no que seria seu quarto duelo. A adversária colombiana, que havia perdido todos os seus confrontos, não apareceu no tatame, facilitando as coisas para a brasileira.

“Foi uma boa competição, de nível alto. O judô está cada dia mais forte no continente. Fiquei feliz com a vitória porque me preparei bem pra essa competição.

Se a atleta da Colômbia viesse, ia lutar com a mesma determinação mas, infelizmente, aconteceu isso. De certa forma, facilitou mas não ia faltar vontade para garantir essa medalha”, disse Claudirene. 

Já Moura, natural do Mato Grosso do Sul, venceu todas as quatro lutas com um tempo total de 4min13s, mostrando a sua superioridade sobre os adversários.

“Eu entrei bem concentrado, aqueci bastante porque sabia que as lutas iam ser bastante rápidas. Eu queria resolver tudo muito rápido porque o andamento da competição, por ter poucos atletas, ia ser corrido. E a estratégia deu certo”, analisa.

Com o resultado, Moura fez valer a tradição da família. Seu pai Fenelon Oscar Muller, foi campeão sul-americano em 1975, e seu tio, Luiz Virgílio Moura, em 1979, conseguiu também a primeira posição.

“Esse era um dos meus objetivos e consegui cumprir. Acho que dei orgulho para minha família. Agora, é treinar forte para manter o ritmo nas próximas competições”, disse David, que esse ano já foi prata no Grand Slam de Paris e sétimo colocado no Open de Oberwart.

Buzacarini perdeu a primeira luta e se despediu do ouro. Mesmo assim, ele mostrou intensidade para vencer os embates restantes para conseguir o bronze. A derrota na estreia veio por falta de combatividade diante do venezuelano Antoni Peña. O bronze foi confirmado após quatro punições do chileno Yeison Donoso.

“Senti um pouco a pressão por ser o último a ter que garantir uma medalha. Não queria ficar de fora de jeito nenhum. Tracei uma estratégia e deu tudo certo. Teve momentos que eu podia até ter jogado mas preferi ser mais conservador e garantir minha medalha”, disse Rafael, atual 18º colocado do ranking mundial.

Com os resultados, o Brasil confirmou a primeira posição no quadro de medalhas com cinco ouros, duas pratas e sete bronzes.

O próximo compromisso dos atletas que participaram dos Jogos Sul-americanos agora é o treinamento de campo internacional de Saquarema que vai até o próximo dia 23 e conta com quase 150 atletas de nove diferentes países, entre elas as potências França, Rússia e Alemanha. Nos dias 17 e 18 de março, a seleção brasileira participará do Aberto Pan-americano de Montevideo e nos dias 22 e 23 de março do Aberto Pan-americanos de Buenos Aires (22 e 23 de março).