Com mais duas medalhas de ouro, Brasil leva 100% ao pódio no judô

David Moura (+100kg) e Claudirene Cezar (+78kg) na categoria pesados faturaram o ouro; já Rafael Buzacarini (até 100kg) ficou com o bronze

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Atletas brasileiros do judô seguem brilhando em Santiago
CBJ/Divulgação
Atletas brasileiros do judô seguem brilhando em Santiago

O Brasil subiu ao pódio com seus três representantes no último dia do judô nos Jogos Sul-Americanos, no Chile. As medalhas de ouro vieram com David Moura (+100kg) e Claudirene Cezar (+78kg) na categoria pesados. Já Rafael Buzacarini (até 100kg) ficou com o bronze. Assim, a modalidade encerra a sua participação com o total de cinco ouros, duas pratas e sete bronzes. Todos os atletas da delegação foram ao pódio.

Com apenas cinco competidores no feminino e no masculino pela categoria pesados, as chaves foram disputadas em forma de pentagonal todos contra todos. Depois de bater a equatoriana Marlin Acosta, a venezuelana Yuliana Bolívar e a argentina Samantha da Cunha por ippon, Claudirene precisava apenas de uma vitória contra a colombiana Jéssica Aya para conquistar o ouro. Mas nem precisou lutar, já que a adversária havia perdido todos os confrontos anteriores e não apareceu para lutar.

"Foi uma boa competição, de nível alto, o judô está cada dia mais forte no continente. Fiquei feliz com a vitória porque me preparei bem pra essa competição. Se a atleta da Colômbia viesse ia lutar com a mesma determinação. Infelizmente aconteceu isso" disse Claudirene.

Já David Moura teve de fazer os quatro combates pra conquistar o ouro. Ao todo, o mato-grossense ficou apenas quatro minutos e treze segundos no tatame. Na última luta, David usou a técnica yoko-tomoe - o atleta deita no chão e joga o adversário para o lado com os pés - para superar Luis Ignácio Salazar. "Eu entrei bem concentrado. Eu queria resolver tudo muito rápido porque o andamento da competição, por ter poucos atletas, ia ser corrido. E a estratégia deu certo."

A última medalha da competição veio com Rafael Buzacarini na categoria meio-pesado. O brasileiro levou duas punições por falta de combatividade e perdeu na primeira luta para o venezuelano Antoni Peña. Como havia apenas seis atletas inscritos, Buzacarini foi direto para a disputa do bronze contra Yeison Donoso, do Chile. Na luta decisiva, o anfitrião foi eliminado depois de receber quatro punições.

"Senti um pouco a pressão por ser o último a ter de garantir uma medalha. Não queria ficar de fora de jeito nenhum. Tracei uma estratégia com o sensei Fulvio e deu tudo certo. Teve momentos que eu podia até ter jogado mas preferi ser mais conservador e garantir minha medalha", disse Rafael, atual 18.º colocado do ranking mundial. Os Jogos Sul-Americanos, vale lembrar, não valem pontos para a lista.