Corpos de americanos mortos em explosão são identificados

Mais de 60 pessoas ficaram feridas depois da explosão na manhã de quarta-feira, que destruiu dois prédios residenciais de cinco andares no leste do Harlem

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Os corpos de todas pessoas que estavam desaparecidas desde a explosão que derrubou dois prédios em Nova York foram encontrados e identificados, disse o comissário dos Bombeiros da cidade, Salvatore Cassano. Mesmo assim, a operação de resgate continuará para verificar se não há mais ninguém sob os escombros.

Entre 60% e 70% dos destroços já foram removidos, segundo Salvatore. Ele espera que os trabalhos sejam concluídos no sábado. A partir daí, detetives e bombeiros conseguirão chegar aos porões dos prédios para começar a investigação sobre o que pode ter causado a explosão. O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que as mais de 100 pessoas que foram deslocadas de suas casas pela explosão receberão alojamentos temporários ou de longo prazo.

Mais de 60 pessoas ficaram feridas depois da explosão na manhã de quarta-feira, que destruiu dois prédios residenciais de cinco andares no leste do Harlem, entre a Park Avenue e a rua 116th.

Entre os mortos, estava Andreas Panagopoulos, de 43 anos, músico grego que tocava guitarra e teclado e trabalhava de casa para um site que gerencia um diretório de filmes e fotografias. A sua esposa, Liseth Perez-Almeida, planejava levar o seu corpo de volta para a Grécia para enterrá-lo no seu país de origem. A mexicana Rosaura Barrios Vazquez, de 43 anos, também morreu na explosão, junto com sua filha, Rosaura Hernandez Barrios, de 22 anos, que trabalhava em um restaurante. Autoridades mexicanas disseram que os corpos seriam transportados de avião para a Cidade do México com as despesas pagas pelo governo.

Também morreram nas explosões Griselde Camacho, de 45 anos, uma oficial de segurança da faculdade Hunter, Carmen Tanco, de 67 anos, uma odontologista que participava de missões médicas religiosas para África e Caribe, George Ameado, de 44 anos, um faz-tudo que vivia em um dos prédios que caíram, e Alexis Salas, de 22 anos, funcionário de um restaurante. O nome da oitava vítima, retirada dos escombros na quinta-feira à noite, não foi informado.

Robert Sumwalt, membro da equipe do Conselho Nacional de Segurança do Transporte, que investiga o incidente, disse que a fonte de gás e o duto de distribuição embaixo da rua foram examinados por uma cratera e estavam intactos, sem punções ou rupturas visíveis. No entanto, investigadores do órgão não puderam conduzir até agora uma avaliação mais profunda por causa dos esforços de resgate. Ainda não estava claro se o vazamento veio de dentro ou de fora dos prédios. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave