Vereador quer ônibus até os aeroportos

Léo Motta solicitou ao governador a criação de uma linha entre Contagem e os terminais da Pampulha e de Confins

iG Minas Gerais |

Léo Motta.  Vereador diz que há grande dificuldade para quem sai da cidade em direção aos aerportos
leandro perché/divulgação
Léo Motta. Vereador diz que há grande dificuldade para quem sai da cidade em direção aos aerportos

Preocupado com as dificuldades de deslocamento dos moradores de Contagem até os aeroportos da Pampulha e de Confins, o vereador Léo Motta conversou diretamente com o governador Antonio Augusto Anastasia no início do mês de novembro do ano passado, em uma audiência na Cidade Administrativa. O vereador, que é presidente da Comissão do Planejamento Participativo Popular Municipal e vice-líder do governo, solicitou uma linha de ônibus urbano intermunicipal exclusiva para o trajeto de passageiros de Contagem aos aeroportos Carlos Drummond de Andrade (Pampulha) e Tancredo Neves (Confins). Na última segunda-feira (10), o governo do Estado sinalizou que a linha será criada de forma permanente ainda no primeiro semestre de 2014, em virtude dos grandes eventos que o país sediará e da demanda diária que o município de Contagem possui para os serviços aéreos. De acordo com Léo Motta, “pela proximidade com Belo Horizonte, utilizamos muitos serviços da capital, como, por exemplo, os aeroportos. Além disso, existe uma grande dificuldade para o deslocamento dos moradores que precisam viajar, já que o serviço de táxi é extremamente caro e o uso de coletivos demanda muito tempo, já que não há linhas diretas”, afirmou. No mês de dezembro, o vereador comemorou o cumprimento de um projeto de lei de sua autoria, sobre a criação da linha de ônibus coletivos especial, equipados com ar-condicionado, televisão e rede de internet e acessibilidade. O coletivo, apelidado de “frescão”, faz a linha 2581 (Eldorado/Belo Horizonte) e possui cinco veículos que rodam nos horários das 6h às 22h. Os passageiros têm aprovado, segundo a estudante Mirian S. Morais (22). “Agora é muito confortável andar de ônibus para ir ao centro de Belo Horizonte. Vale a pena pagar um pouquinho a mais no valor da passagem pelo grande conforto, ainda mais neste calor”, defendeu. Para Léo Motta, apesar dos avanços, a dificuldade da mobilidade e da qualidade na prestação do serviço de transporte coletivo nos grandes centros urbanos tem sido enfrentada como prioridade dos governos. “A cidade de Belo Horizonte terá grandes ganhos com o BRT. O que precisamos é continuar buscando alternativas para o transporte coletivo metropolitano e para o trânsito dentro do município de Contagem,” afirmou. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave