Tem futebol para render mais

Camisa 9 terá que mudar o histórico da superstição pessoal de não se dar bem nos anos pares

iG Minas Gerais | THIAGO PRATA e VICTOR MARTINS |

Compensação. Apesar de não estar fazendo e contribuindo com gols, Diego Tardelli vem ajudando bastante o sistema defensivo alvinegro
JOAO GODINHO / O TEMPO
Compensação. Apesar de não estar fazendo e contribuindo com gols, Diego Tardelli vem ajudando bastante o sistema defensivo alvinegro

Antes da partida de quarta-feira contra o Nacional-PAR, o centroavante Jô disse, em tom de brincadeira, que era necessário puxar a orelha de Fernandinho. Isso porque o velocista não vem colaborando com assistências na temporada. Mas outro companheiro de ataque também merece receber um “sermão”, só que pelas chances de gol desperdiçadas.

O início de temporada de Diego Tardelli tem sido abaixo da média. Em nove partidas disputadas até agora, o dono da camisa 9 marcou apenas dois gols. O mau desempenho está associado mais aos erros individuais do avante do que pela marcação imposta pelos adversários. Só contra o time paraguaio, foram duas oportunidades de ouro desperdiçadas, sendo uma no primeiro tempo e outra no segundo.

“Eu tomo uma decisão dentro de campo. Já tomei a decisão de finalizar de uma forma várias vezes e fiz. Quando o gol não sai, vem essa cobrança pequena. Mas eu estou tranquilo”, declarou o atacante, que fez questão de lembrar de sua colaboração em outras funções.

“Hoje (quarta-feira) fiz um sacrifício para ajudar mais na marcação, todos reconheceram isso no vestiário”, completou.

Aliado ao baixo rendimento na temporada, um déjà vu. Muitos torcedores devem se lembrar de uma frase de Tardelli no passado, na qual o atacante diz que costuma se dar bem nos anos ímpares e nem tanto nos anos pares. Logicamente, trata-se somente de uma superstição. Na prática, no entanto, tal afirmação tem se concretizado em 2014.

Basta recordar algumas temporadas de sucesso do jogador ocorridas em anos ímpares. Em 2005, pelo São Paulo, conquistou a Copa Libertadores, feito repetido com o Atlético em 2013. E em 2009, o avante foi o artilheiro do Brasil, com 42 gols (39 em jogos oficiais).

Por outro lado, Diego Tardelli não obteve o mesmo sucesso em temporadas de números pares, como em 2010, quando enfrentou a luta contra o rebaixamento vestindo a camisa alvinegra. E a superstição volta à tona justamente num momento em que o atleta ainda pleiteia uma vaga na Copa do Mundo. Porém, ele prega tranquilidade para voltar a estufar as redes.

“Vamos com força para o próximo jogo contra o Nacional, e, na quarta-feira, tem mais”, comentou o camisa 9, referindo-se ao duelo diante dos paraguaios.

Satisfeito

“Temos que valorizar nosso trabalho. Jogamos fora de casa, num gramado pesado, que prendeu nosso ponto forte, que é a velocidade. Temos de valorizar o que fizemos hoje (quarta-feira), pois ganhamos um ponto importantíssimo na Libertadores.”

Diego Tardelli - Atacante do Galo

Estatísticas

175 jogos pelo Atlético tem o atacante Diego Tardelli

93 gols anotou o dono da camisa 9 em jogos pelo Galo

2 gols apenas em nove partidas no ano tem Diego Tardelli

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave