Lares sem TV a cabo, telefonia e internet chegam a 9,1%

Ipea traça panorama no Brasil do acesso da população aos serviços de telecomunicações

iG Minas Gerais | Juliana Gontijo |

“Eu tenho um combo, com serviços de internet, fixo e TV à cabo. O telefone fixo tem ruído constante e as ligações caem. E a ligação do celular também cai do nada” - Cleonice Pitangui Mendonça, Antropóloga
GUSTAVO BAXTER/ O TEMPO
“Eu tenho um combo, com serviços de internet, fixo e TV à cabo. O telefone fixo tem ruído constante e as ligações caem. E a ligação do celular também cai do nada” - Cleonice Pitangui Mendonça, Antropóloga

Não há acesso a qualquer tipo de serviço de telecomunicações, como telefonia fixa, móvel, TV por assinatura ou internet em 9,1% dos domicílios brasileiros, segundo levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O resultado da pesquisa realizada em todo o país foi divulgado ontem.

O técnico de planejamento e pesquisa do instituto, João Maria de Oliveira, ressaltou que o número de domicílios sem qualquer serviço de telecomunicações foi considerado elevado e surpreendeu a equipe. “Imaginamos que esse número fosse menor. Muito provavelmente as pessoas que não têm acesso a esses serviços mora na zona rural ou faz parte da população de baixa renda e não consegue pagar por isso”, analisa.

Para a maior parte da população – 51,7%, – o valor médio pago pelos pacotes de combo (que tem vários tipos de serviço) fica na faixa de R$ 71 e R$ 150. E quem tem, nem sempre está satisfeito. Nas ruas, são comuns as reclamações sobre a qualidade dos serviços de telecomunicações. “A ligação do celular cai do nada”, diz a antropóloga Cleonice Pitangui Mendonça.

Entre todos os serviços avaliados, a telefonia móvel foi considerada a de pior qualidade. Ainda assim, 65,5% dos usuários avaliaram o serviço de seus celulares como “bom”.

O número, de acordo com o Ipea, é alto porque considera tanto usuários pós-pagos como os pré-pagos que fazem menor uso dos recursos das operadoras. Esse tipo de contratação, sem conta, representa 82,5% do total de clientes das operadoras do país.

“Como as maiores reclamações desse setor estão relacionadas com a cobrança, muito provavelmente, se tivéssemos analisado esses grupos individualmente, os consumidores do pós-pago estariam menos satisfeitos”, observa Cleonice Pitangui, do Ipea.

E quando se trata principalmente do acesso à internet via celular, os entrevistados informaram que não conhecem as principais regras dos serviços contratados.

Os usuários dos outros serviços apresentam grau de satisfação superior. Para 72,9% dos clientes da telefonia fixa, o serviço foi considerado bom. Essa percepção positiva, nos contratos de TV por assinatura, chega a 87,1% dos usuários.

A amostra do Ipea incluiu 3.810 domicílios em todas as partes do Brasil, todos foram escolhidos de forma aleatória. (Com agências)

 

Tecnologia

Sem internet. Mais da metade dos domicílios ainda não possui computador. São 51,8% dos lares sem o equipamento, o que limita o acesso à internet banda larga e outros serviços.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave