Orquestra de Câmara do Sesi chega ao seu milésimo concerto

Em sua trajetória, grupo regido por Marco Antônio Maia Drumond tenta se aproximar de outros gêneros

iG Minas Gerais | gustavo rocha |


Sesiminas investe na formação de novos músicos em sua escola
CÁTIA BONINI
Sesiminas investe na formação de novos músicos em sua escola

Se a Orquestra de Câmara do Sesiminas atendesse por um nome, esse certamente seria o do maestro Marco Antônio Maia Drumond. Regente e fundador do grupo há 27 anos, a história de ambos se fundem. Hoje à noite, a orquestra chega à sua milésima apresentação.

“Eu acabara de voltar da Polônia (onde fez um curso de pós-graduação em regência operística na Academia de Música Frederyk Chopin) e o doutor Nansen Araújo, um homem muito culto, me convidou para organizar um grupo musical com o intuito de levar a cultura aos industriários”, lembra Drumond.

Desde aquele primeiro lampejo, muito tempo já se passou. Um dos principais desafios da orquestra, nas palavras do maestro, sempre foi tirar essa visão “esnobe e elitista” que se tem da música erudita.

“Não há gênero mau, o que existe é música vagabunda. Inclusive, na própria música erudita. Nós gostamos de música boa. Então, o samba, o jazz, a MPB, o rock, todos os gêneros nos interessam. É uma forma de tornar nosso repertório eclético”, destaca ele. Prova disso, sãos os shows que a orquestra já fez com bandas de música pop mineira como o Jota Quest. Para este ano mesmo, nove concertos com participação do Skank estão marcados.

Em sua tentativa de popularizar o erudito, o maestro revela as estratégias para se chegar de maneira mais direta ao público não acostumado ao gênero. “Eu faço um misto de aula com programa de auditório. Explico como funciona uma orquestra e respondo perguntas do público. Se chegarmos com toda aquela formalidade dos concertos, assustamos a plateia”, diz.

Na seleção musical desta noite, no entanto, o regente optou por canções mais clássicas. “Faremos um repertório basicamente erudito. Uma linha do tempo que passa pelos séculos XVIII, XIX e XX”, ressalta ele.

Ao refletir sobre sua trajetória com a orquestra, Drumond destaca que o grande desdobramento do trabalho talvez tenha sido a criação da Escola de Formação de Instrumentistas de Corda – EFIC, em 1989, gratuita e aberta ao público. “O instrumento é emprestado, as aulas são de graça e nós ainda oferecemos o lanche”, brinca ele. Agenda

O quê. Milésimo Concerto da Orquestra de Câmara Sesiminas

Quando. Hoje, às 20h30

Onde. Teatro Sesiminas (rua Padre Marinho, 60, Santa Efigênia)

Quanto. Entrada franca

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave