St. Patrick e suas versões belo-horizontinas

Diversidade musical e de espaços marcam festas que celebram Santo Patrício em Belo Horizonte neste ano

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

A banda R.A.T.S.é especializada em música celta e se apresenta no Uai Patrick’s Day hoje, no Granfinos
Fernando Oliveira
A banda R.A.T.S.é especializada em música celta e se apresenta no Uai Patrick’s Day hoje, no Granfinos

Muita gente ainda acha estranho, mas a cada ano os mineiros comemoram com mais fervor o feriado irlandês, que celebra o santo católico São Patrício. Como prova da adesão, festas próximo ao dia 17 de março, data oficial da celebração, espalham-se por espaços públicos e privados de Belo Horizonte. A diferença é que, por aqui, o motivo se afasta de aspectos religiosos e tenta unir similaridades entre as duas nações.

“Todos falam que os irlandeses são os brasileiros da Europa”, comenta o irlandês radicado no Brasil Karl Mooney, vocalista da banda de música celta The Celtas Ride Again e produtor da festa Uai Patrick’s Day.

A explicação sobre o sucesso das comemorações de Mooney vai além. “Há muitos brasileiros indo estudar na Irlanda e voltam apaixonados com a cultura de lá. Também somos dois países católicos e que foram colonizados. Acho que, de alguma forma, essas ligações invisíveis nos unem”, comenta.

Residente no Brasil desde 2001, Mooney lembra-se de ter ficado muito feliz com uma das primeiras festas que compareceu em 2009, na Savassi. Porém, a ausência de algo substancial o incomodou. “A festa era ótima, mas sentia falta de música autêntica”, diz.

Assim, decidiu criar o Uai Patrick’s Day, que chega à sua segunda edição hoje no Granfinos. A festa traz um line-up de bandas cujo foco são músicas irlandesas. “A música celta é caracterizada por ritmos rápidos e para dançar. Duas coisas que brasileiros gostam muito”, comenta.

Rock Verde. E se no evento promovido por Mooney o foco é a música celta, no ST. Patrick’s Day BH, que será realizado amanhã em três palcos no Parque das Mangabeiras, o rock e a música eletrônica predominam. “É a primeira vez que estamos trazendo bandas de fora”, comenta o produtor Otacílio Mesquita.

À frente do evento desde 2011, quando o mesmo ainda acontecia na praça da Savassi, Mesquita conta que a primeira edição foi realizada ainda junto com o grupo Rugby BH, em parceria com o bar Major Lopes.

Na segunda edição, o Rugby BH resolveu organizar uma festa própria, a St. Patrick’s Day Original, que acontece amanhã. Neste ano, se juntaram à Cervejaria Backer para trazer a festa rica em decoração típica.

No mesmo dia acontece no Circus uma comemoração também voltada para o rock. Eles decidiram unir a celebração do santo da Irlanda ao aquecimento para o show da banda Guns n’ Rose, que se apresenta no dia 22, no Festival Planeta Brasil.

Para Família. Outra comemoração guiada por um estilo musical distante da cultura irlandesa é o Festival Brasil Irlanda. Depois de ser realizada por cinco anos na rua Andaluzia, no bairro Carmo, a festa, que acontece depois de amanhã, mudou de local e será realizada na rua Levindo Lopes, entre a avenida do Contorno e a rua Fernandes Tourinho.

A mudança é decorrente da parceria entre as casas Wäls, CCCP, Stadt Jever e Duke’n’Duke. Ela também inspirou modificações no escopo das bandas. “Teremos setes bandas que, em sua maioria, são de jazz e blues. Nossa intenção com isso é criar um espaço mais tranquilo para a família”, comenta o proprietário do CCCP, Fernando Garzon, que adverte: “A troca do quilo de alimento não perecível nos quatro restaurantes está intensa. Por isso, aconselho os interessados a trocar antes de sábado”. Segundo ele, são esperadas 3.000 pessoas para o evento.

Com tantas festas, as opções crescem e se reverberam em programações distintas. “O festejo para ser bom, não tem que ser único. Quanto mais festas melhor para a população e para a cidade”, avalia Mesquita.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave