Testes em canteiro de obras

Nas vésperas de experimentos, estações da avenida Antônio Carlos ainda estão longe de conclusão

iG Minas Gerais | Luciene Câmara |

Ermelinda mostra um dos objetos que caíram em área de prédio
Douglas Magno / O Tempo
Ermelinda mostra um dos objetos que caíram em área de prédio

Após a inauguração do Move (nome dado ao BRT) na avenida Cristiano Machado, no último sábado, começam agora os preparativos para a fase de testes do trecho mais complexo do sistema: o da avenida Antônio Carlos. As estações ao longo da via ainda estão sem acabamento, e o grande terminal Pampulha, próximo à avenida Portugal, tem apenas 78% das obras concluídas. Mas mesmo nesse cenário, a prefeitura mantém o próximo sábado, dia 15, como ponto de partida para a etapa de treinamento dos motoristas no corredor.

O início da circulação dos ônibus articulados do BRT no trecho pode, porém, agravar ainda mais o trânsito, caso os coletivos convencionais que atualmente usam a pista exclusiva da avenida sejam transferidos para as pistas mistas. Questionada sobre a possível mudança, a BHTrans informou apenas que isso ainda está sendo definido. A resposta é a mesma sobre os horários e o percurso a ser feito nos testes.

A Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) informou que a Estação Pampulha vai entrar na fase de testes com a “funcionalidade mínima necessária para operação do sistema”, o que inclui a conclusão de pistas de acesso ao terminal, catracas, sinalização e sistemas de comunicação. O mesmo ocorreu na Estação São Gabriel, na Cristiano Machado, que começou a operar para usuários com parte da estrutura concluída.

Obras. A reportagem de O TEMPO esteve na tarde desta quarta-feira na Estação Pampulha e viu que, na plataforma onde os ônibus do Move vão parar, ainda faltam inserir as faixas de segurança e preencher parte do telhado. Os banheiros estão sem acabamento e pintura. “Ainda vamos levar uns dez a 15 dias para finalizar tudo”, afirmou um dos responsáveis pela obra.

Já nas estações de transferência, que ficam ao longo da avenida, correções ainda são feitas. No penúltimo módulo antes da barragem da Pampulha, operários quebravam ontem uma estrutura de concreto no chão para a instalação dos “tachões” que delimitam a distância entre o ônibus e a plataforma. As portas de vidro do embarque e desembarque começaram a ser montadas nesta quarta-feira. “Vamos levar cerca de três dias em cada estação”, disse o trabalhador que iniciava a instalação.

A Sudecap informou que, nas estações de transferência das avenidas Antônio Carlos, Pedro I e Cristiano Machado, 12,4% das obras precisam ser finalizadas. O pintor Dalton Chaves, 51, aguardava no sol o ônibus no ponto convencional da Antônio Carlos na tarde desta quarta-feira e cobrava resultados. “Espero que tudo fique pronto logo e que a mudança seja para melhor”, concluiu.

Para usuários

Datas. Na Antônio Carlos, a inauguração do Move para usuários está prevista para abril, em data ainda não informada. O trecho é o que terá o maior número de passageiros – 400 mil.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave