Mineração em queda freia a economia mineira

Estado ficou estagnado em 2013, com crescimento de apenas 0,5%; indústria impactou resultados

iG Minas Gerais | Jáder Rezende |

O Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais em 2013 alcançou desempenho nada animador: 0,5%, de acordo com a Fundação João Pinheiro (FJP). Considerado o carro-chefe da economia mineira, o setor industrial foi um dos mais afetados, amargando queda de 1,8%, em função da pífia performance da indústria extrativa mineira, com queda de 6,1%. Os setores de agropecuária e o de serviços também tiveram altas inexpressivas, com 0,5% e 1,6%, respectivamente.

Outro fator impactante para o resultado nada animador em Minas foi a matriz de geração de energia hidrelétrica, prejudicada substancialmente em função da estiagem prolongada registrada em 2013. Em contrapartida, o Brasil registrou crescimento de 2,3%, impulsionado pela expansão agrícola de 7%.

A presidente da Fundação João Pinheiro, Marilena Chaves, considera que a diferença entre as taxas de Minas e do país foi favoravelmente influenciada pelo desempenho da indústria de extração mineral e da indústria de transformação em 2010, recuperando as grandes perdas de 2009, mas negativamente afetada pelo comportamento da produção e distribuição de energia e saneamento em 2013.

Ela observa que, no caso da indústria extrativa mineral mineira, a queda de 23,6% no volume do valor adicionado em 2009 foi compensada com a expansão de 29,0% em 2010, favorecida, sobretudo, pelo aumento nos preços praticados em relação ao minério de ferro.

O diretor do Centro de Estatística e Informações da FJP, Frederico Poley, observa que 2013 foi tão ruim para a economia mineira que qualquer melhoria observada nos próximos meses deverá refletir positivamente nos indicativos de 2014, seja na indústria extrativa como na agropecuária.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave