Aliados defendem que Aécio se afaste do Senado em abril

iG Minas Gerais |

“PMDB terá vaga na chapa se quiser”, garantiu Marcus Pestana
joão miranda - 7.10.2013
“PMDB terá vaga na chapa se quiser”, garantiu Marcus Pestana

Brasília. Uma corrente de conselheiros do núcleo duro do PSDB pressiona o senador Aécio Neves a se licenciar do cargo no início de abril para dedicar-se integralmente à campanha presidencial. Sem o compromisso de estar em Brasília três dias da semana como congressista, o tucano aproveitaria o tempo rodando o país.

A intenção dos que defendem um afastamento imediato é fazer um contraponto à agenda de viagens que a presidente Dilma Rousseff tem feito Brasil afora. Também conta ter a mesma disponibilidade do pré-candidato à presidência pelo PSB, Eduardo Campos, que deixará o governo de Pernambuco em 4 de abril para investir 100% do tempo no “roadshow” brasileiro.

A ideia é que o pré-candidato tucano possa aproveitar o tempo livre para percorrer o Nordeste e o Estado de São Paulo. “Vamos vencer com uma operação de guerrilha. Tem que viajar, andar na rua, apertar a mão das pessoas, olhar no olho”, argumentou um conselheiro da campanha do PSDB.

Afastar Aécio do Senado tem também como objetivo evitar que ele entre, como diz um tucano, “em bolas dividas e situações constrangedoras” ao ser confrontado com pautas polêmicas, como recentemente ocorreu na discussão sobre maioridade penal. Em assuntos assim, o senador teria de assumir uma posição que não necessariamente seria a melhor para um pré-candidato à presidência.

Um eventual afastamento, no entanto, vai na contramão do que a maioria dos parlamentares que vão disputar eleições faz. A ausência do nome do político na cobertura jornalística do Legislativo seria um risco. Procurado, Aécio admite que pode afastar-se, mas ainda não decidiu em qual momento. Ele admitiu que vem conversando sobre o assunto com seus conselheiros.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave