Dobradinha ainda é negociável

iG Minas Gerais |

O presidente do PSDB de Minas, deputado Marcus Pestana, deixou em aberto ontem a vaga ao Senado, no caso de o PMDB decidir se aliar aos tucanos em Minas. Apesar de garantir que a situação dos tucanos no Estado “é muito tranquila”, uma vez que o partido já tem o governador Antonio Anastasia como um candidato quase “imbatível” para a vaga, o dirigente garantiu que há espaço para negociação.

“O PMDB terá espaço na chapa se quiser. E a vaga ao Senado é a mais cobiçada. É possível discutir isso”, afirmou. Pestana negou, porém, que tenha negociado com o senador e pré-candidato ao governo de Minas pelo PMDB, Clésio Andrade, sobre espaços na vaga. “Não houve conversa. Mas estamos abertos”, finalizou.

Indefinição. Apesar de terem classificado como uma possibilidade real antecipar a convenção nacional do partido para definir de qual lado os peemedebistas estarão nas eleições e se há possibilidade de liberar os Estados para fazerem composições próprias, deputados do PMDB resolveram recuar, pelo menos por enquanto. “Não é o momento oportuno”, diz um parlamentar.

A cúpula peemedebista teme que a tensão entre deputados do partido e o Palácio do Planalto provoque uma divisão entre as bancadas do PMDB na Câmara e no Senado. Os senadores, em sua maioria, mantêm apoio a Dilma. Em Minas, a proposta de antecipação já contava com o apoio de 14 Estados.

Desaprovada

Conta. O TRE-MG desaprovou a prestação de contas do diretório do PMDB referente a 2010. Ainda foi definida a suspensão por dois meses do Fundo Partidário e multa de R$ 39.937. (IL)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave