Palmeiras estreia na Copa do Brasil contra o Vilhena

Se vencer por dois ou mais gols de diferença fora de casa, o time paulista elimina o jogo de volta

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A Copa do Brasil reservou para a estreia do Palmeiras, nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), no interior de Rondônia, o roteiro de uma apresentação às adversidades de se aventurar pelos confins do Brasil. Longas viagens, estádios pequenos, adversário desconhecido, mas para compensar, a imensa vontade de eliminar o jogo de volta contra o Vilhena e evitar mais cansaço.

Se não vencer por dois ou mais gols de diferença, o time alviverde terá de receber o atual campeão rondoniense, no estádio do Pacaembu, justamente na semana entre os dois jogos da decisão do Campeonato Paulista.

Na manhã desta terça, no embarque do elenco no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (Grande São Paulo), os jogadores afirmaram que o objetivo é definir a classificação nesta quarta. “Esse resultado é importante e vamos tentar garantir isso”, disse o zagueiro Marcelo Oliveira. “A gente sabe que eliminar o jogo da volta poderá trazer benefícios para o nosso time lá na frente. É a oportunidade de descansar mais”, ressaltou o atacante Alan Kardec.

O percurso até a cidade de Vilhena foi dividido em duas etapas. A primeira até Cuiabá, onde o time treinou à tarde para depois seguir de avião até a cidade da partida, a 700 km de lá. Por pouco essa última etapa não foi cumprida em um percurso de 10 horas de ônibus, pois o aeroporto local estava fechado até a noite de segunda por problemas de documentação com a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

No estádio Portal da Amazônia, local do jogo, a estrutura é simples. A capacidade é para até 10 mil torcedores e nesta terça uma chuva forte alagou o gramado. Para contornar esses obstáculos, o técnico Gilson Kleina tem como opção o retorno do atacante Leandro, que ficou fora do time nos últimos quatro jogos por ter sofrido um corte na perna direita.

O jogador volta a formar a entrosada dupla ofensiva com Alan Kardec, parceria que deu certo na Série B do Campeonato Brasileiro do ano passado e tem apresentado boas atuações no Paulistão. Se mantiverem as boas atuações, os dois podem ser responsáveis por encaminhar o objetivo do Palmeiras: fazer vários gols e já garantir a classificação para a segunda fase. “Temos de ser um time copeiro e para isso precisamos ser eficientes e competentes. Em cada mata-mata a gente faz a decisão”, disse.

O único desfalque é o volante Wesley, com dores na coxa direita. França e Eguren devem compor o setor. O meia Bruno César viajou com o elenco e deve ficar no banco de reservas como opção para jogar ao lado do chileno Valdivia.

Do adversário, o Palmeiras reconhece saber pouco. Gilson Kleina contou ter recebido informações sobre o melhor jogador, o meia Edilsinho, maior artilheiro da história do clube, com 30 gols marcados. O Vilhena disputa pela quinta vez a Copa do Brasil e nunca avançou da primeira fase.

Para a partida, o técnico Marcos Birigui deve escalar três estreantes: o goleiro Dalton, o atacante João Leandro e o lateral-direito Portela, de 24 anos, que atuou na base do Palmeiras e antes de chegar ao clube rondoniense estava no América, da Série A3 do Campeonato Paulista.

Leia tudo sobre: futebolpalmeirasestreiavilhenacopa do brasil