Mães evangélicas não concordam com vacina contra HPV

Campanha criada por capixabas acredita que a vacinação pode desenvolver a curiosidade das meninas

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A imagem de um recorte de jornal impresso vem sendo compartilhada pelas redes sociais. A reportagem noticia uma campanha de mãe capixabas contra a vacina contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV) para garotas entre 11 e 13 anos.

Meninas de todo país começam a ser imunizadas na segunda-feira (10) contra o HPV, principal causador do câncer de colo de útero. Porém, um grupo de mães evangélicas acreditam que a vacinação em meninas tão jovens pode desenvolver a curiosidade em relação a prática sexual, já que elas estariam imunes a doença.

A matéria escutou uma pastora e mãe de duas meninas de 10 e 3 anos. Ela afirmou que quando as filhas tiverem idade para serem imunizadas ela não deixará as crianças serem vacinadas.

A mulher informou não ter nada contra o cuidado do Ministério da Saúde com o povo brasileiro, mas acha que essa vacina é desnecessária. Ela afirma que a melhor forma de prevenir Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) é facilitando o casamento.

No Facebook

Um grupo foi criado na rede social para deixar claro seu descontentamento com a vacinação. Na página, 78 pessoas publicam o porque não são a favor da vacina. Alguns integrantes do grupo "Sou contra a vacina HPV" publicam matérias que falam os efeitos colaterais que possam aparecer.  

De forma democrática, o grupo ainda aceita a opinião de pessoas que se posicionam a favor da vacinação. 

Leia tudo sobre: hpvvacinaçãovacina