Justiça mineira indefere nova tentativa de Schettino em retornar à FMF

Eleições na Federação Mineira devem ocorrer até dia 1º de maio, FMF é comandada por quatro interventores

iG Minas Gerais | FREDERICO RIBEIRO |

FMF/DIVULGAÇÃO
undefined

Distituido do cargo de presidente da Federação Mineira de Futebol no começo deste mês, Paulo Schettino voltou a ter seu pedido de retorno à entidade negado pela 6ª vara cíveldo Tirbunal de Justiça de Minas Gerais. Nesta terça-feira, o TJMG publicou a novidade no caminhar do processo de número 1.0000.14.015467-5/000. O juiz Antônio Leite de Pádua indeferiu pedido de reconsideração realizado pelo próprio Schettino, através de advogado particular. Desde o dia 28 de fevereiro, a entidade máxima do futebol mineiro vemsendo comandado por quatro interventores, todos indicados pela Justiça. Paulo Schettino, que estava na presidência da FMF desde 2003, foiproibido de presidir em dezembro de 2013, denunciado por tentativa de prorrogar sua permanência até julho de 2014. A manobra era de ordem ilega, pois previa a mudança do estatudo da Federação.  Mas o caso já sobreu reviravoltas, com o cartola tendo a direito de voltar à presidência no mês passado. "A justiça, antes do Carnaval, entrou com o mandado de segurança e houve a decisão contra a decisão de me deixar voltar à FMF", afirmou Schettino. Tento grande prestígios sobre os clubes, o ex-delegado da Polícia Civil mineira se mantém tranquilo sobre a questão. Ele afirmou que irá acatar o que a justiça definir, mesmo que a conclusão do imbróglio seja a sua ausência da cadeira de presidente. "No meu entendimento, sempre vai prevalecer a escolha da justiça. Se ela determinar o meu afastamento, eu irei me afastar. Acho que isso nem cabe discussão", completou Schettino, que não tem ideia de quando haverá o último capítulo dessa novela. Opositor é o denunciante. O advogado e ex-presidente da Liga de Desportos de Ipatinga, Silvesre Antônio Ferreira, é o principal opositor da gestão de Schettino e foi quem realizou a denuncia ao Ministério Público de Minas Gerais. Acompanhando o processo de perto, o opositor informou que as eleições na FMF ocorreram até dia 1º de maio. "Eu fiz a denúncia ao MP e estou acompanhando o processo de perto. Schettino queria ficar na presidência da Federação até as eleições, que vão ocorrer, no máximo, daqui dois meses, por decisão judicial. Ele não tem como concorrer ao cargo de presidente mais", afirmou Silvestre, que ainda explicou o motivo da denúncia: "Acho que da forma que estava, não poderia haver eleições mais na FMF", completou.

Leia tudo sobre: federacaofmfpaulo schettinoeleicoes