Barcelona nega ter proposto acordo fiscal por Neymar

Clube espanhol destacou que desmente categoricamente ter externado para Receita sua disposição de chegar a um acordo com a condição de admitir a existência de delito no caso

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Lesão no tornozelo direito deixará Neymar fora dos gramados de três a quatro semanas
Agência Estado
Lesão no tornozelo direito deixará Neymar fora dos gramados de três a quatro semanas

Um dia antes de o Barcelona enfrentar o Manchester City no jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões, o clube divulgou um comunicado oficial, nesta terça-feira, para negar que tenha proposto um acordo fiscal à Receita Federal da Espanha ao assegurar que não cometeu irregularidades na contratação de Neymar junto ao Santos.

Apesar da polêmica transação ter sido determinante para a renúncia do presidente Sandro Rosell e virado alvo da Justiça espanhola, o clube destacou nesta terça que "desmente categoricamente ter externado para Receita sua disposição de chegar a um acordo com a condição de admitir a existência de delito contra a Fazenda Pública, para encerrar assim a causa judicial aberta por infração tramitada na Justiça em relação a contratação do jogador Neymar".

No mês passado, porém, o Barcelona foi indiciado após um juiz aceitar uma denúncia do Ministério Público da Espanha, que apontou supostos crimes fiscais que teriam ocorrido entre 2011 e 2013 por conta dos contratos que envolvem a contratação do atacante. A denúncia alega que o Barcelona teria deixado de pagar mais de 9 milhões de euros em impostos ao não declarar todos os contratos com o brasileiro aos fiscais de renda da Espanha.

O Barcelona usou o termo "desmentir" nesta terça ao falar sobre a contratação de Neymar para rebater informações veiculadas pela mídia espanhola nesta semana. Na última segunda-feira, o jornal El País publicou uma reportagem na qual destacou o suposto interesse do clube catalão em assumir um crime contra a Fazenda Pública. De acordo com a matéria, uma quantia ainda a ser definida seria paga pelo clube, depois de o próprio Barça ter confirmado oficialmente, no mês passado, que pagou 13,5 milhões de euros extras às autoridades fiscais da Espanha, justificando que o valor serviu "para saldar qualquer possível dívida tributária desta operação e para melhor defender o nome e a boa reputação de nosso clube".

Com o pagamento deste valor ao fisco, o clube viu aumentar para quase 100 milhões o valor pago para ter Neymar. Inicialmente, o Barcelona anunciara oficialmente que desembolsara apenas 57,1 milhões pelo então atacante do Santos. No entanto, a cifra aumentou para 86,2 milhões depois que conselheiros do clube contestaram a negociação.

Essa não é a primeira vez que o Barcelona se manifesta por meio de uma nota oficial para negar irregularidades na contratação de Neymar. Um dia antes de ser indiciado pela Justiça espanhola, o clube garantiu que agiu "dentro da lei" no que diz respeito às obrigações fiscais relativas ao atacante.

Leia tudo sobre: neymarnegaacordofiscalbarcelonaatacante