Dilma se reúne com Bachelet, que reassume o governo do Chile

Presidente ainda participa de fotografia oficial com os demais chefes de Estado e de Governo, no Palácio Presidencial Cerro Castilho, depois embarca de volta ao Brasil

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Ex-presidente analisa políticas sociais do governo durante encontro
Antonio Cruz/ABr
Ex-presidente analisa políticas sociais do governo durante encontro

A presidente Dilma Rousseff se encontra nesta terça-feira (11) de manhã com a presidente eleita do Chile, Michelle Bachelet, que assume novamente o governo.

A reunião está marcada para as 9h40, horário local (uma hora a menos do que no Brasil), no Palácio Presidencial Cerro Castilho, que fica em Viña del Mar, cidade litorânea do Chile.

Após a conversa, Bachelet vai receber mais uma vez o mandato presidencial, depois de governar o país de 2006 a 2010 e ser sucedida por Sebastián Piñera. A cerimônia ocorre no Congresso Nacional chileno, que fica em Valparaíso, próximo de Viña del Mar e a 120 quilômetros da capital, Santiago.

Tendo como principal desafio reformar o sistema educacional e a Constituição herdada da ditadura de Augusto Pinochet, Michelle Bachelet terá que negociar com outros partidos, além de sua coalizão, para cumprir as promessas.

Do ponto de vista internacional, a expectativa do governo brasileiro é que o novo mandato aproxime o Chile dos vizinhos sul-americanos.

De acordo com o embaixador Américo Simões, subsecretário-geral do Itamaraty para a América do Sul, Central e do Caribe, a expectativa do Brasil é aprofundar parcerias nas áreas de energia, educação, infraestrutura e direitos humanos.

Após a cerimônia de posse, os chefes de Estado retornam a Viña del Mar para cumprimentar Bachelet e participar de almoço oferecido pela chilena, marcado para as 14h.

Dilma ainda participa de fotografia oficial com os demais chefes de Estado e de Governo, no Palácio Presidencial Cerro Castilho, de onde se desloca para embarcar de volta ao Brasil. Ela tem chegada prevista para o fim da noite.

A presidente volta, mas o chanceler Luiz Alberto Figueiredo fica no Chile para discutir, quarta-feira (12), a situação da Venezuela com ministros das Relações Exteriores de países da União de Nações Sul-Americanas (Unasul).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave