“A Malásia sofre com falta de segurança na imigração”

Jhonny Cazetta -Jornalista Repórter do jornal O TEMPO

iG Minas Gerais |

Em três ocasiões, durante uma viagem à Ásia, em 2012, estive no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, na Malásia. Em uma delas, embarquei em um voo da Malaysia Airlines sem passar pela imigração malaia e sem o carimbo de saída em meu passaporte. Como a passagem até a entrada do avião foi livre, eu e três amigos que me acompanhavam pensamos que se tratava de uma situação normal. No entanto, fomos surpreendidos quando retornamos ao país, duas semanas depois. A imigração não entendia como estávamos chegando à Malásia sem ter saído do país. Demoramos um bom período para explicar o ocorrido e ser liberados. O fato nos chamou muita atenção. Como um aeroporto estruturado como aquele poderia deixar situações como essa ocorrerem? A situação é ainda mais intrigante com a notícia do desaparecimento do voo MH370 e a informação de que algumas pessoas teriam embarcado com um passaporte falso. Acredito que a Malásia sofra com problemas de segurança na imigração, que, ao que parece, já se arrasta por um bom período. É um mistério o motivo do desaparecimento do avião, mas a possibilidade de um atentado terrorista, por mais remota que possa ser, é preocupante para um país acostumado a receber milhares de turistas. De nada vale uma estrutura física de primeiro mundo se a segurança também não for. É válido ressaltar que os serviços da Malaysia Airlines são de primeira qualidade, e a considero a melhor companhia aérea em que já voei.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave