PSB analisará nova denúncia

Conversas entre Alexandre Gomes e 18 mulheres no Facebook serão incluídas em processo

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda / Lucas Pavanelli |

Sumiço. No painel à esquerda, às 15h14, Alexandre Gomes estava presente
JOAO GODINHO / O TEMPO
Sumiço. No painel à esquerda, às 15h14, Alexandre Gomes estava presente

O Conselho de Ética e Fidelidade do PSB de Belo Horizonte recebeu nessa segunda a defesa por escrito do vereador da capital Alexandre Gomes sobre a acusação de que ele teria utilizado o cargo público em troca de favores sexuais. Os argumentos do socialista são uma resposta à representação entregue ao partido por um filiado, que pede a expulsão do parlamentar por infringir as normas internas da sigla. Junto a esse processo – que começou a ser analisado em dezembro –, serão incluídas as novas denúncias mostradas nessa segunda, por O TEMPO, que revelam o socialista em conversas no Facebook com outras 18 mulheres, em que também negocia empregos em troca de favores sexuais.  

Nessa segunda, o presidente do Conselho de Ética, Marcos Souza Lima, afirmou que as alegações do vereador com relação à primeira denúncia – que tramita em segunda instância no Tribunal de Justiça de Minas (TJMG) – ainda não podem ser divulgadas, mas afirmou que, após analisadas, a conclusão sobre o caso será levada à Executiva Estadual do PSB.

A direção do partido, segundo ele, será responsável por definir o futuro de Alexandre Gomes na legenda. Em relação ao novo inquérito do Ministério Público de Minas (MPMG), Lima garante que o caso será fundamental para definir sobre uma possível expulsão.

“É um fato novo e grave e que, se concluirmos que está diretamente relacionado a primeira ação, será incorporado à representação. Ainda existe a possibilidade de o vereador ser convocado pessoalmente pelo conselho para se explicar”, argumenta Lima, que preferiu não determinar um prazo para concluir a análise da investigação.

Nessa segunda, o presidente estadual do PSB, deputado federal Júlio Delgado, afirmou que vai acompanhar o caso e aguardar uma conclusão da Justiça. “Como não houve um primeiro parecer do tribunal, não posso falar em punições. Vamos ver como será um novo pronunciamento da Justiça. É um caso grave e que será punido, caso seja comprovada a irregularidade”, ressaltou.

Silêncio. Na Câmara de Belo Horizonte, apesar de ter registrado nessa segunda sua presença na reunião de plenário, o vereador Alexandre Gomes hora nenhuma participou da sessão. Em seu gabinete, no entanto, uma funcionária afirmou que o parlamentar estava na Casa, mas ele não foi localizado pela reportagem.

Os demais vereadores da capital mantiveram o silêncio e evitaram comentar o episódio. Nenhuma palavra sobre o escândalo foi dita durante a sessão, que demorou uma hora, tempo suficiente para que o número de parlamentares em plenário caísse de 39 para 18.

Beneficiada

Caso. Na primeira denúncia, Gomes conseguiu emprego para M.C. em uma empresa terceirizada que prestava serviço para a Regional Noroeste da capital. Ela foi dispensada durante as investigações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave