É preciso educar o sentimento

Método propõe atenção e força de vontade diante dos desafios da vida

iG Minas Gerais | Ana Elizabeth Diniz |

Parceria. O casal José Ramon Navarro e Marie Helene Laurent de Navarro (Marion) ensina o método educacional em todo o mundo
DENILTON DIAS / O TEMPO
Parceria. O casal José Ramon Navarro e Marie Helene Laurent de Navarro (Marion) ensina o método educacional em todo o mundo

Como educar nossos filhos para que eles se tornem adultos fortes nesses tempos difíceis, em um mundo movido pela urgência, pelo individualismo e pelo consumismo? A resposta, segundo a pedagogia Etievan, é se relacionar com o outro como um ser integral que tem mente, corpo e sentimento.  

O método resgata o cuidado com que os sentimentos deveriam ter nos relacionamentos e na vida. Hoje se teoriza muito, o intelecto vem sendo priorizado cada vez mais em uma sociedade globalizada e competitiva e, com isso, as crianças não vivenciam as lições de vida. É preciso que elas sintam suas escolhas e as consequências de suas ações.

Etievan é o outro sobrenome de Nathalie De Salzmann, jornalista, tradutora, piloto, pintora e educadora, nascida em 1910, na Georgia, na Rússia, e educada na Suíça e na França. Em 1950 se estabelece na Venezuela onde cria as primeiras escolas que depois se espalharam por outros países. Morou no Rio Janeiro por alguns anos, orientando crianças, jovens e adultos. Morreu na Venezuela, em 2007.

Nathalie teve como padrinho e mestre George Ivanovich Gurdjieff (1866/1949), que investigou o que chamou de “máquina humana” sob o ponto de vista da totalidade de seus centros – o motor, o instintivo, o emocional e o intelectual – harmonizando os diversos aspectos do ser.

Dessa convivência, Nathalie absorveu o jeito de trabalhar com as crianças de Gurdjieff. Anos mais tarde, na Venezuela, José Ramon Navarro e Marie Helene Laurent de Navarro (Marion) trabalharam por mais de 30 anos sob a orientação direta de Nathalie e, desde 1972 desenvolvem projetos baseados no modelo educativo Etievan.

O casal faz parte da junta diretora da Fundação Modelo Educativo Etievan, que coordena as escolas na Venezuela, Colômbia, no Equador, Chile e Peru e há mais de 20 anos conduz encontros internacionais que envolvem grupos de jovens e adolescentes em vivências educativas na Venezuela, no Canadá e no Brasil.

Em visita a Belo Horizonte, eles concederam entrevista exclusiva a O TEMPO, em que falam sobre esse modelo pedagógico. “A pedagogia Etievan trabalha desde cedo o senso de responsabilidade ao mesmo tempo em que dá liberdade com histórias e jogos. Ela é uma porta que se abre para atividades que desenvolvem a vontade de ser mais forte, participativo, íntegro e responsável”, explica José Navarro.

Marion lembra que desde 1994 o casal tem vindo ao Brasil para trabalhar com grupos de jovens, entre 13 a 17 anos. “Já fizemos acampamentos, para trabalhar o sentimento de estar longe das comodidades, o contato com a natureza, caminhadas e as práticas realizadas em grupo como cozinhar e lavar. É preciso desenvolver e integrar todas as partes do humano, a mente, o corpo e o sentimento. São três partes que funcionam separadas das outras, mas elas devem estar em harmonia e ter intensidade de manifestação similar, uma não deve predominar sobre as outras e, para isso, é preciso atenção e força de vontade. Da mesma forma deve ser nossa ação no mundo, integrando o pensar, o agir e o sentir. Tem que haver um dono, uma consciência que dirige ou pelo menos deveria dirigir a pessoa na vida”.

Legado de Gurdjieff propõe valores essenciais para o ser Gurdjieff foi um buscador que trouxe para o Ocidente tudo o que aprendeu, praticou e desenvolveu em si mesmo por meio de conhecimento adquirido no Oriente. Cristão ortodoxo, ele garimpou os ensinamento tradicionais sem perder de vista os ocultos. Segundo ele, “se você educa a criança, não terá que castigar o adulto”. Sua missão, após viajar e conhecer místicos e escolas de sabedoria, foi convocar a humanidade para o conhecimento do significado da vida sobre a Terra. “Desde criança tenho a sensação de que algo falta em mim. Sentia que existe outra vida além da vida comum. Uma vida que me chama. Mas como me abrir a ela? Essa pergunta não me deixa em paz e assim tornei-me um cão faminto, perseguindo uma resposta”, disse o místico e educador. (AED)

 

AGENDA: Palestra sobre o ensinamento de George Ivanovich Gurdjieff, nesta quarta, das 19h30 às 22h. No dia 15 próximo, das 9h às 12h, acontece a palestra sobre os centros Etievan. Entrada franca. Local: Instituto Gurdjieff , à rua Divinópolis, 121, Santa Tereza. Informações: institutogbh@gmail.com bh@centrosetievan.com.br, www.centrosetievan.com.br ou pelo telefone (31) 8798-4647.

Princípios

- Educação do sentimento

- Amor ao esforço, o desafio

- Amor ao trabalho

- Desenvolvimento da atenção

- Educação não competitiva

- Importância de buscar

- Necessidade da confiança

- Senso da responsabilidade

- Educação da vontade

- Necessidade de amor

- A exigência e a liberdade

- Preparação para a vida

Mais em www.gurdjie.org.br e www.centroetievan.com.br

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave