Musical é homenagem ao amor e aos anos 70

Vencedor do último Festival de Gramado, “Tatuagem” tem sessão gratuita hoje no Sesc Palladium

iG Minas Gerais | Daniel Oliveira |

Tema.Longa retrata cotidiano de cia. teatral na Olinda da década de 70, inspirada em uma trupe real
IMOVISION
Tema.Longa retrata cotidiano de cia. teatral na Olinda da década de 70, inspirada em uma trupe real

Para “Tatuagem”, estreia na direção do roteirista Hilton Lacerda (“Baile Perfumado”), o amor é uma marca na pele. Uma manifestação anárquica que subverte o que é esperado e permitido. O amor que não transforma, não choca e não explode não é amor.

E isso não tem necessariamente a ver com o romance gay entre os protagonistas Clécio (Irandhir Santos) e Fininho (Jesuíta Barbosa), que costura a narrativa do longa. Tem a ver com o espírito hippie do amor livre e da contracultura dos anos 1970, retratado no filme – exibido hoje no Sesc Palladium, dentro do projeto Cinema em Transe.

Mas, provando que infelizmente “Tatuagem” ainda é muito atual, foram o romance gay e as cenas de sexo entre os dois atores que ganharam as manchetes quando o longa estreou no Festival de Gramado de 2013. Na ocasião, a produção arrebanhou os prêmios de melhor filme, melhor ator e melhor trilha musical para o DJ Dolores.

Irmão próximo de “Febre do Rato” e descendente-homenagem direto do Cinema Marginal, “Tatuagem” acompanha o grupo de teatro (e cabaré) “Chão de Estrelas” (inspirado na trupe anárquica Vivencial), liderada pelo ator-diretor-performer-cantor Clécio na Olinda da década de 1970. A paixão do protagonista pelo militar Fininho é usada pelo roteiro para desnudar as transformações de costumes ocorridas na época e os desafios de viver na vida (sob a sombra da Ditadura) a anarquia artística pregada no palco.

Lacerda cria um longa reverencial e divertido, que só peca por querer demais. Ao não se decidir entre romance e retrato de uma época, o filme deixa a sensação de que existem dois ótimos filmes que foram unidos em um bom. O que não significa que a sessão gratuita de hoje não seja imperdível para quem ainda não conferiu a poesia da genial canção “Polka do Cú”.

O quê. Exibição de “Tatuagem”

Quando.Hoje, às 20h

Onde. Sesc Palladium (av. Augusto de Lima, 410, centro)

Quanto. Entrada franca

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave