Polícia Civil faz curso com agentes secretos norte-americanos e do FBI

Curso de "Moedas Falsas" teve início nesta segunda-feira (10) e vai até a quarta-feira (12)

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Agentes do Serviço Secreto dos Estados Unidos (EUA) e do FBI (Polícia Federal norte-americana) estão ministrando aulas sobre moedas falsas para policiais civis mineiros a partir desta segunda-feira (10). O curso faz parte do pacote de aperfeiçoamento profissional para capacitar os agentes que atuarão durante a Copa do Mundo.

Segundo a assessoria da Polícia Civil (PC), o curso de “Moedas Falsas” está sendo ministrado por um investigador que, por razões de segurança, não pode ser identificado. Participam 277 policiais da Grande BH, divididos em três turmas. As aulas vão até a quarta-feira (12) e acontecem de 9h as 12h, no auditório da Academia de Polícia Civil (Acadepol).

Nesta terça-feira (11), os policiais que participam do curso e a coordenação da Acadepol concederão entrevista à imprensa e mostrarão o material didático e cédulas utilizadas na demonstração. 

Ainda segundo a PC, o Serviço Secreto dos Estados Unidos informa que o curso realizado na é o primeiro promovido no Brasil em 2014. Ainda segundo o órgão, o governo americano faz questão de divulgar a existência dos itens de segurança nas cédulas, mas a Copa do Mundo certamente ampliará a circulação da moeda no país, aumentando a oportunidade do crime. 

Ainda conforme a polícia norte-americana, os colombianos e peruanos são apontados como os maiores falsificadores de dólar no mundo. Atualmente circularia em todo o planeta cerca de U$ 1 trilhão somente na moeda americana.

Outros cursos

No total, 1.354 policiais do Estado aprenderão novas técnicas com os vários cursos que foram oferecidos, sendo que outros dois ainda terão as inscrições abertas. 

Outros 45 policiais estão matriculados em um curso de “Investigação de Crime Organizado”. Eles também terão aulas do FBI, porém entre os dias 17 e 21 de março. “Os dois cursos são muito importantes e visam situações que poderão ocorrer durante a Copa. Torcemos para que não seja necessário utilizar as novas técnicas, mas ficará um aprendizado que vai se somar a outros tantos, deixando nossos policiais ainda mais bem preparados para trabalhar em favor do cidadão”, afirma o diretor-adjunto da Acadepol, Jorge Vagner.

Com inscrições entre 17 e 21 de março, o curso “Fisionomonia Policial”, específico para delegados, será ministrado por uma criminóloga da própria academia. A matéria vai ensinar novos meios de identificar, a partir da fisionomia, postura ou jeito de falar e olhar, se um suspeito está dizendo a verdade durante depoimento em uma delegacia. 

Também os policiais da capital terão atualizados seus conhecimentos sobre técnicas de abordagem, direitos humanos e atendimento aos grupos vulneráveis, por meio de um projeto denominado Desktop, que significa área de trabalho.

No programa de aperfeiçoamento com vista à Copa do Mundo, a PC ofereceu outros sete cursos. Na área de idiomas, 269 policiais concluíram o curso de Inglês e outros 72, o de Espanhol, ambos no nível médio. O aprendizado será de fundamental importância para atendimento aos turistas e para casos envolvendo suspeitos estrangeiros.

Em outros cursos da Acadepol, 356 policiais aprenderam novas técnicas de investigação de “Tráfico de pessoas”; outros 211 fizeram o curso de “Atuação de Polícia Judiciária em Grandes Eventos”; 245 servidores aperfeiçoaram formas de “Atendimento ao Público”; 60 tiveram aulas de “Libras” e 480 concluíram curso de “Inclusão”, voltado para o acolhimento de pessoas com déficit intelectual nas delegacias.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave