Trunfo começa a ser testado

Novo sistema de transporte entra em atividade com o peso de ser a maior herança política de Lacerda

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

Aposta. Lacerda andou de Move na estreia do novo sistema de transporte, no sábado, apostando no sucesso político da empreitada
FERNANDA CARVALHO / O TEMPO
Aposta. Lacerda andou de Move na estreia do novo sistema de transporte, no sábado, apostando no sucesso político da empreitada

O novo sistema de transporte público de Belo Horizonte, o Move, tem hoje o seu primeiro dia útil de circulação ainda em escala reduzida. Os ônibus que chegam às ruas carregam, além da responsabilidade de melhorar o serviço e o trânsito da cidade, o peso de poder representar a herança política do prefeito Marcio Lacerda (PSB).

O cacife eleitoral do socialista em outubro deste ano – seja para brigar por uma candidatura própria ao governo do Estado ou para dar palanque ao presidenciável da sua legenda, Eduardo Campos – está diretamente ligado ao sucesso do projeto que já demandou R$ 1,06 bilhão.

As mudanças no transporte são a principal bandeira da gestão de Lacerda. Nos bastidores, os seus aliados garantem que colher os louros do Move é um dos principais motivos que levam o prefeito a resistir à pressão do partido para deixar o posto e lançar uma candidatura própria ao Palácio Tiradentes.

O cientista político Manoel Santos, professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), avalia que a responsabilidade do Move é grande por ser uma obra de impacto, que durou quatro anos e gerou “muitos transtornos e expectativas” para a população. “Se der certo, será um legado importante com reflexos neste ano e nas eleições futuras. Caso contrário, as críticas serão pesadas, e o custo político, muito alto”, afirma. Ele aposta que a mudança no transporte será uma das armas eleitorais deste ano.

O também cientista político Malco Camargo concorda que o peso é grande. “Lacerda não vai ser reconhecido por ter cuidado de outras áreas que não infraestrutura. Sua principal herança será numa possível mudança no transporte. O sucesso do Move e uma possível ampliação do metrô são fundamentais para ele”, analisa. Camargo acredita que a colheita dos resultados será em 2015 e 2016.

Publicidade. Na última semana, a prefeitura divulgou uma nova campanha publicitária. As peças são uma mostra de como o projeto será usado nas urnas. Os vídeos associam o Move com os slogans “BH no caminho para ser a melhor cidade do Brasil” e “começo da solução dos problemas do transporte da cidade”.

O presidente do PSB no Estado, deputado federal Júlio Delgado, avalia que, a exemplo do que já aconteceu em outras cidades, como Curitiba, que também implementou o sistema, o legado será positivo. “Os gestores que inauguraram o Move em outras cidades ficaram marcados por terem feito uma mudança gigantesca. Essa pode ser a grande marca do Lacerda.”

Repercussão

Troca. Na avaliação do cientista político Manoel Santos, historicamente, os políticos não são bem-avaliados quando interrompem um mandato para concorrer a uma outra vaga.

Custo político

“O Move tem peso forte na imagem política de Lacerda, que se posicionou como o prefeito empreendedor. Se der certo, será um trunfo dele, se der errado, é um prato cheio para os opositores.”

Manoel Santos, cientista político

“O Move precisa de um tempo para dizer se funcionou ou não. Num futuro próximo, se o resultado esperado acontecer, Lacerda pode se sair como um grande administrador.”

Malco Camargo, Cientista Político

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave