“É preciso bom senso para adquirir”

Marcos Maron, consultor financeiro

iG Minas Gerais |

Para o consumidor, é um bom negócio contratar o serviço de garantia estendida? Em primeiro lugar, é bom deixar claro que não é uma extensão da garantia já oferecida pelo fabricante. É um serviço de seguro oferecido pelo varejista. Pode ser uma vantagem, desde que o consumidor observe várias coisas, como preço e cobertura.

Qual é o valor considerado justo por esse serviço? Para produtos mais baratos, que custam até R$ 1.000, esse seguro geralmente é de 10% do valor total do item. Para artigos mais caros como carros, esse percentual vai caindo.

O que o consumidor deve levar em conta na hora de contratar o serviço? Além do preço, é preciso ver as condições de cobertura, se é total ou se exclui alguma parte do produto. Outra coisa fundamental é o bom senso. A garantia estendida de uma batedeira ou de um liquidificador, por exemplo, pode ser vantajosa para uma confeiteira, mas inútil para alguém que faz bolo em casa uma vez por mês. (PG)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave