Hora de renovar o cardápio de surpresas

Terceiro lugar na primeira participação em Copa, em 1998, croatas querem fascinar mais uma vez

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

“Penso que estamos em um grupo difícil. O favorito está na nossa chave, o Brasil. Vamos ver o que acontece. Mas somos um país pequeno e vamos jogar a partida de abertura, o que será um grande prazer para nós. O mundo inteiro vai estar nos olhando.” - Niko Kovac, técnico da Croácia
Darko Bandic/AP
“Penso que estamos em um grupo difícil. O favorito está na nossa chave, o Brasil. Vamos ver o que acontece. Mas somos um país pequeno e vamos jogar a partida de abertura, o que será um grande prazer para nós. O mundo inteiro vai estar nos olhando.” - Niko Kovac, técnico da Croácia

A Croácia fez história com o terceiro lugar em 1998 e, desde então, parou de surpreender. Em 2002 e 2006, o time não passou da primeira fase e, em 2010, nem conseguiu a classificação para o Mundial da África do Sul. Em 2014, a equipe chega como segunda força da chave do Brasil, calçada por jogadores de primeira linha do futebol, como Mandzukic, do Bayern de Munique, e Modric, do Real Madrid.

Mas a vaga para o Brasil não foi assim tão tranquila. Depois do segundo lugar no grupo da Bélgica – a Sérvia, país que também formava a antiga Iugoslávia, terminou em terceiro –, a Croácia só foi carimbar o passaporte na repescagem contra a Islândia. Nesse percurso chegou até a trocar de técnico.

A batalha pela classificação, aliás, vai custar a presença do craque Mandzukic na estreia, contra o Brasil. Ele foi expulso no último jogo da repescagem e precisa cumprir suspensão no Mundial. E nem será a primeira vez que os croatas enfrentam o Brasil numa estreia. Em 2006, eles perderam por 1 a 0. As estatísticas da competição também mostram outro revés do time europeu para um adversário do grupo. Em 2002, o México derrotou a Croácia por 1 a 0.

Muitas seleções torceram para não cair no grupo brasileiro, mas o técnico croata Niko Kovac encontrou um discurso para minimizar o embate. “O mundo inteiro estará nos olhando. Analisamos muitas partidas do Brasil, então, sabemos exatamente o que nos espera”, ressaltou o treinador, que assumiu o time em outubro passado. A equipe deve ter no elenco o brasileiro Eduardo da Silva, carioca que foi para o Dínamo Zagreb ainda jovem e se naturalizou croata.

Xadrez. A camisa quadriculada em branco e vermelho faz parte da identidade croata. O estilo vem do brasão de armas da Croácia, originalmente um símbolo da família Habsburgos. O quadriculado também representa o intercalar das guerras que o povo croata já sofreu. Independente da antiga Iugoslávia em 1991, a Croácia usou o uniforme pela primeira vez na Eurocopa de 1996.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave