Por causa de nomes parecidos, lojas recorrem à Justiça

iG Minas Gerais |

As três lojas consultadas pela reportagem que produzem e comercializam pães de queijo gourmet em Belo Horizonte têm, coincidentemente, nomes parecidos – o que acabou se tornando um problema e levou o caso à Justiça.

O nome da Pão de Queijaria, primeira casa entre as três a ser aberta, surgiu, de acordo com a proprietária Camila Froes, de um “brainstorming” entre ela e o sócio. “Nenhum outro parecia mais apropriado e, quando consultado, era um nome 100% disponível em todos os órgãos e plataformas, tanto que temos o domínio em todas as redes sociais, URL etc”. Segundo ela, depois que o estabelecimento foi aberto, surgiram novos empreendimentos com nomes parecidos e produtos similares. “Foi realmente uma infeliz coincidência, ou não.”

A origem do nome da Pãodequeijeria, segunda loja a ser inaugurada, também veio dos proprietários, Daniel Garcia e Ênia. “A ideia era ter uma casa especializada em pão de queijo usando um nome de fácil assimilação com o produto. Minha mulher disse: ‘Então vai ser Pãodequeijeria, uai!’. Assim como padaria é casa de pão, pastelaria é casa de pastel e, mais recentemente, as brigaderias, que são casas de brigadeiro. Simples assim”, conta Garcia.

Procurada, a A Pão de Queijaria não comentou sobre o assunto. Em entrevista concedida em 31 de janeiro ao jornal  O TEMPO, um dos sócios da casa, Mário Santiago, disse que o nome foi registrado antes no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) e na Junta Comercial da capital, em março de 2013. “Já acionamos a Justiça para resolver esse problema”, disse ele, na época. (Da Redação)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave