Tucano quer dinheiro de volta

iG Minas Gerais |

Brasília. Líder do PSDB na Câmara, o deputado Antonio Imbassahy (BA) também vai pedir à Procuradoria Geral da República (PGR) a devolução dos valores gastos com o transporte no avião da FAB. O deputado ainda vai encaminhar pedido de informações ao Ministério da Saúde solicitando a relação dos passageiros que usaram o avião.

O líder do PSDB quer apurar se os passageiros são servidores do Ministério da Saúde efetivamente ligados ao programa de prevenção à Aids. Imbassahy disse que a oposição escolheu a PGR como fórum para investigar a viagem de Chioro porque a Comissão de Ética Pública da Presidência da República demonstrou ser “a comissão da ética da presidente Dilma” ao evitar abrir investigações contra ministros.

O tucano também vai propor ao Ministério Público a dissolução do colegiado. “No exemplo mais recente, a Comissão de Ética não viu nada de errado no fato de a ministra Ideli Salvatti ter usado o helicóptero do Samu para fazer campanha eleitoral. Para evitar péssimos exemplos como esse, é melhor para o país dissolver essa comissão.”

Imbassahy lembrou que a presidente manteve em sigilo, neste ano, escala de viagem em Lisboa, onde o governo teve gastos de R$ 27 mil com o hotel da comitiva presidencial.

Hotéis

Diária. Segundo o ministério, os hotéis foram pagos com diárias de R$ 2.541,88 recebidas pelo ministro. Além da mulher, a comitiva foi composta por assessores do gabinete e do Departamento de DST/Aids.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave