Ministro leva a mulher em jato

Oposição quer que Procuradoria investigue Arthur Chioro, da Saúde, por uso de avião da FAB

iG Minas Gerais |

Arthur Chioro distribuiu kits com camisinhas em bloco carioca
Tomaz Silva/Agência Brasil - 3.3.2014
Arthur Chioro distribuiu kits com camisinhas em bloco carioca

Brasília. A oposição vai pedir à Procuradoria-Geral da República (PGR) para investigar o uso de aeronave oficial pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, durante o Carnaval. PSDB, DEM e PPS consideram que o ministro cometeu ato de improbidade administrativa por ter levado a mulher, Roseli Regis dos Reis, em avião da Força Aérea Brasileira (FAB) a três capitais nos dias de Carnaval: Salvador, Recife e Rio de Janeiro como revelado pela “Folha de S.Paulo”.

O ministro se deslocou às três capitais para participar de ações de mobilização e promoção do uso da camisinha durante o Carnaval. Chioro diz que fez uma “maratona”' de quatro dias a serviço do ministério “em prol da prevenção da Aids” e que levou a mulher para “evitar qualquer situação de exposição indevida”.

Líder do PSDB na Câmara, o deputado Antonio Imbassahy (BA) vai encaminhar a representação à PGR na próxima semana com o pedido de investigação. O documento será assinado pelos três partidos de oposição.

“A presidente Dilma e o ex-presidente Lula sempre tentaram esconder informações de viagens oficiais bancadas com dinheiro público. O ministro da Saúde, que está no cargo há pouquíssimo tempo, já recorreu ao mesmo expediente. Misturam o público com o privado com uma facilidade surpreendente”, afirmou Imbassahy.

Líder do Solidariedade, o deputado Fernando Francischini (PR) disse que vai apoiar a convocação do ministro no Congresso para explicar o uso da aeronave no Carnaval, o que será feito em conjunto pela oposição.

Aeronave. O decreto 4.244/2002, que disciplina o uso de aviões da FAB por autoridades, diz que os jatos podem ser requisitados quando houver “motivo de segurança e emergência médica, em viagens a serviço e deslocamentos para o local de residência permanente”. O decreto não diz quem pode ou não viajar acompanhando as autoridades.

Na capital baiana, Chioro e a mulher foram ao camarote Expresso 2222, comandado pelo ex-ministro da Cultura Gilberto Gil e sua mulher, Flora Gil. A assessoria da pasta diz que o Expresso 2222 foi parceiro do ministério na campanha.

O ministro também passou no camarote do governador Jaques Wagner (PT). No Rio, esteve no bloco Sargento Pimenta para participar de ação de prevenção a Aids. A assessoria de Chioro afirma que a mulher do ministro o acompanhou nos compromissos oficiais “sem qualquer custo adicional aos cofres públicos”. A comitiva oficial totalizou 11 pessoas, segundo a previsão de passageiros registrada no site da FAB. Na agenda oficial do ministro, porém, Roseli não aparece entre os integrantes da comitiva.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave