Apenas 30% vão ter ‘conforto’

iG Minas Gerais | Joana Suarez / Luciene Câmara |

A modernidade do Move, com alta tecnologia, veículos articulados e refrigerados, não chegará tão cedo aos ônibus convencionais. As linhas do bairro continuarão com veículos com idade média de 4,6 anos, sem ar-condicionado. “O Move já é um grande avanço. Acreditamos que 30% da demanda vai poder usufruir desse conforto maior”, completou Ramon Victor Cesar, presidente da BHTrans.  

Outra crítica que se faz ao Move é o fato de a linha lançada neste sábado, a 83D, fazer o mesmo trajeto do metrô – indo direto da Estação São Gabriel até o centro. “Não quer dizer que o usuário precisará trocar o metrô pelo Move, mas ele terá uma oferta a mais de serviço”, afirmou Cesar. A diferença é que, se o passageiro quiser fazer apenas esse percurso, no Move ele paga R$ 2,65 e no metrô R$ 1,80. Mas fazendo a integração com linhas alimentadoras, o usuário paga R$ 2,65 nas duas opções.

Obras. O público que utilizar o Move neste sábado vai se deparar com estruturas inacabadas. Na nova Estação São Gabriel, a escada rolante está sendo instalada. Na avenida Cristiano Machado, a estação de transferência no bairro Ipiranga, na região Nordeste da cidade, não vai funcionar ainda porque a passarela que dá acesso não ficou pronta.

Os painéis com os mapas que informarão as linhas e trajetos do Move ainda não foram instalados nas estações. Os usuários terão que se orientar pelos monitores da BHTrans. Segundo a autarquia, os mapas serão colocados posteriormente, quando tudo estiver funcionando, para não confundir os usuários. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave