Mãe faz rifa para tratar a filha

iG Minas Gerais | Bruno Trindade |

Patrícia Horta vai rifar camisa autografada ontem na Toca II
Bruno Trindade
Patrícia Horta vai rifar camisa autografada ontem na Toca II

Unir a paixão pelo Cruzeiro e a busca por uma melhor qualidade de vida para a filha com paralisia cerebral. Esses foram os motivos que levaram a dona de casa Patrícia Horta Marques, 36, na tarde de ontem, à Toca II. Ela tinha como objetivo entregar uma carta ao presidente do clube, Gilvan Tavares, pedindo uma camisa autografada por todos os jogadores para rifá-la e ajudar a custear o tratamento da filha.

Apesar de o mandatário celeste não estar presente, Patrícia não perdeu a viagem. Muito pelo contrário. Sensibilizado com o caso, o goleiro Fábio conseguiu a camisa e pegou a assinatura de todos os atletas do elenco, o que deixou Patrícia radiante. “Nossa, meu marido vai ter um infarto. Estou muito feliz. Nem acredito que estou aqui, não esperava conseguir entrar na Toca”, declarou. Segundo Patrícia, a filha Victória Horta Marques, 8, vibra muitos com os jogos da Raposa. “Ela assiste a todos os jogos ao lado do pai e fica muito empolgada com a narração e com os gols do Cruzeiro”, contou. Victória sofre de paralisia cerebral por ter faltado oxigênio em seu cérebro na hora do nascimento.

Com os movimentos comprometidos, ela precisa realizar um tratamento chamado Therasuit – criado nos EUA –, mas hoje realizado em BH – que custa de R$ 8.000 a R$ 10 mil por um período de 30 dias. “Esse tratamento vai ajudar na coordenação motora, no equilíbrio do tronco e do pescoço. Com ele, o tempo de recuperação pode reduzir até pela metade”.

Patrícia espera agora conseguir uma camisa autografada do Atlético e uma da seleção brasileira para fazer outras rifas e pagar o tratamento. Quem quiser ajudar pode entrar em contato pelo Facebook buscando o nome: Victoria Horta Marques. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave