Ciência quer destruir lixo espacial com laser

Australianos fizeram proposta que também discute isolar os dejetos

iG Minas Gerais |

Proposta é desviar restos de satélites e foguetes
ESA/Divulgação
Proposta é desviar restos de satélites e foguetes

Sidney, Austrália. Cientistas australianos anunciaram ontem uma proposta de atingir o lixo espacial, potencialmente perigoso, com raios laser para que caia na atmosfera terrestre, onde se desintegraria.

“Queremos limpar o espaço para evitar o risco crescente de colisões e prevenir os tipos de incidentes contados no filme ‘Gravidade’”, declarou o diretor do centro de pesquisa astronômica e astrofísica da Universidade Nacional da Austrália, Matthew Colless.

Um novo centro de pesquisa com a participação, entre outros, da Agência Espacial Norte-Americana, Nasa, começará a trabalhar em meados de 2014 para isolar as partes menores de lixo espacial e prever sua trajetória graças ao observatório de Mount Stromlo, em Canberra.

Segundo a agência France Presse, o objetivo é desviar esses restos (satélites fora de serviço, corpos de foguetes etc) de sua trajetória, atingindo-os com raios laser a partir da Terra.

A Nasa e a Agência Espacial Europeia (ESA) registraram mais de 23 mil dejetos de mais de 10 cm, em sua maioria, em órbitas baixas (abaixo de 2.000 km).

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave