Vereadores respondem Burguês

iG Minas Gerais |

Parlamentares consideraram infeliz a declaração de Léo Burguês que acusou os vereadores de não fiscalizarem as decisões da Casa. O presidente afirmou que, por não saberem que a Câmara contratou um projeto executivo para expansão do prédio do Legislativo, no ano passado, os vereadores não estariam cumprindo as obrigações do cargo.

Ronaldo Gontijo (PPS) explicou que as acusações de Léo Burguês são infundadas. “Não sei o que ele quer. Então fiscalizar é pedir ao Ministério Público que faça uma devassa no gabinete dele? Nós não sabíamos do projeto executivo porque os vereadores não foram informados. Falta transparência. Nossa função de fiscalizar é voltada para o Executivo. Ele foi muito infeliz ao dizer isso”, rebateu.

Para Adriano Ventura, Burguês generalizou as críticas. Ele também acusa a atual presidência da Câmara de não dialogar com os demais vereadores. “Ele não pode dizer que os vereadores não estão fazendo seu trabalho. Ele tem que dizer quem. Fato é que é difícil conseguir qualquer informação com a presidência”, declarou

O projeto. No ano passado, a Casa contratou a montagem de um projeto executivo de expansão do prédio da Câmara por R$ 131 mil. Os vereadores só tomaram conhecimento da contração a partir de uma reportagem de O Tempo. (GR)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave