Obra situa Fernando Pessoa na literatura contemporânea

Estudo com foco em textos do autor, considerados ortônimos, tem lançamento hoje na Quixote

iG Minas Gerais | Carlos Andrei Siquara |

Autora. Título de Lisa Carvalho Reis é resultado de tese de doutorado defendida na USP em 2011
Acervo pessoal
Autora. Título de Lisa Carvalho Reis é resultado de tese de doutorado defendida na USP em 2011

O fascínio provocado pela poesia de Fernando Pessoa (1888-1935) deve muito aos textos assinados pelos seus heterônimos. Menos populares são os poemas que o poeta português publicou com o próprio nome. Embora boa parte desse acervo permaneça ainda não publicada aqui, ela serviu como objeto de pesquisa de Lisa Carvalho Vasconcellos, que defendeu tese de doutorado sobre o autor na Universidade de São Paulo, em 2011.

Compilado em versão adaptada no título “Vertigens do Eu: Autoria, Alteridade e Autobiografia na obra de Fernando Pessoa” (Relicário Edições, R$ 35), cujo lançamento acontece hoje na livraria Quixote, o estudo analisa a produção do escritor identificada como ortônima e discute a relação dele com tendências em voga no presente.

“Eu tive a sensação de que a poesia ortônima de Pessoa não possuía tanto reconhecimento quanto as outras atribuídas a Ricardo Reis ou Alberto Caeiro. Trata-se de uma produção gigantesca, de longe maior que a obra vinculada aos heterônimos e que se revela muito interessante porque ali encontramos muito do projeto pretendido pelo próprio escritor”, revela Lisa Carvalho Vasconcellos.

Ao analisar esses escritos, a autora inclusive rebate a teoria de que a poesia ortônima cumpre papel semelhante às outras, visão às vezes frisada a partir de algumas declarações do próprio Pessoa. Ele teria refletido sobre isso, por exemplo, em carta a Adolfo Casais Monteiro (1908-1972), em que comenta sobre seu processo de escrita.

“Há uma tentativa de entender essa poesia que ele escreve ao longo de sua vida, dos 17 até os seus últimos anos, sob a mesma perspectiva daquela assinada por um heterônimo, especialmente porque ali Pessoa tece diálogos e se diz amigo, por exemplo, de Álvaro de Campos e discípulo de Caeiro”, sublinha a estudiosa.

“Minha tese tenta contestar isso, ressaltando que a poesia ortônima tem um lugar diferente no contexto de sua obra. Esse seria talvez um espaço em que atuam também outros autores que trabalham com a autoficção e a representação do eu. Nesse sentido, Pessoa é bastante contemporâneo”, reforça Lisa.

Além de revisar o modo como se compreende parte da obra do poeta português, a autora observa que o título busca lançar luz para essa produção poética do escritor, que, para ela, vale bastante ser redescoberta.

“A poesia ortônima de Fernando Pessoa é reunida em três volumes. Aqui, até então, foram publicados os dois primeiros. O último acolhe textos escritos por ele entre 30 e 35 anos. É algo gigantesco e ainda inédito no Brasil”, pontua.

Agenda

o quê. Lançamento do livro “Vertigens do Eu: Autoria, Alteridade e Autobiografia na obra de Fernando Pessoa”, de Lisa Carvalho Vasconcelos

quando. Hoje, às 11h

onde. Livraria Quixote (rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi)

quanto. Entrada franca

 

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave