China volta a treinar com bola após seis meses afastado

Jogador se recuperou de uma cirurgia no ligamento cruzado do joelho direito

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

China deve ser titular contra o Avaí, na vaga de Andrei
EDU ANDRADE/AGÊNCIA ESTADO
China deve ser titular contra o Avaí, na vaga de Andrei

Depois de seis meses e cinco dias afastado dos gramados para se recuperar de uma cirurgia no ligamento cruzado do joelho direito, o volante China, 22, participou na tarde desta sexta-feira, no CT Lanna Drumond, de um trabalho técnico-tático comandado pelo técnico Moacir Júnior. Formado na base do Coelho, onde chegou em 2000 para equipe fraldinha, o jogador disse que estava feliz com sua volta aos trabalhos com bola e que espera poder ganhar o mais rápido condições para voltar a vestir a camisa titular do alviverde.

“Passou muita coisa na minha cabeça neste período entre a cirurgia e a recuperação, mas em momento algum eu pensei em desisti de voltar a jogar. O sacrifício foi grande, mas Deus e o apoio de minha família e dos amigos foram muito importantes para a minha recuperação”, destacou China, que se contundiu em agosto do ano passado durante um treino no CT Lanna Drumond. “Não foi fácil a recuperação. Eu chegava no CT às 8h30 da manhã e saia às 20h30. Felizmente, o clube conta com uma grande estrutura, que me permitiu a recuperação”, completou o volante.

China afirmou que conversou com o médico do América, Cimar Eustáquio, e ele explicou que não dá para fazer uma previsão sobre a volta em definitivo aos gramados. “A expectativa é entre 20 e 30 dias para readaptação. Somente depois deste período que o técnico Moacir Júnior vai poder começar a pensar quando poderá contar com a gente”, afirmou o jogador, que no tempo em que esteve em recuperação contou com a companhia do também volante Doriva. “Ele sofreu a mesma contusão que eu tive. Foi um grande parceiro no processo de recuperação e estamos muito felizes com esse nosso retorno aos trabalhos com bola.”

Leia tudo sobre: futebol nacionalaméricacoelhocampeonato mineirochinaretorno