Brasil crê em medalha no salto com vara e Duda está na final

Duda foi o único brasileiro a avançar à final do Mundial de Sopot

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Atual campeão indoor, Duda vai atrás do bicampeonato
Divulgação
Atual campeão indoor, Duda vai atrás do bicampeonato

Depois de ver Fabiana Murer ser campeã mundial indoor em 2010, o atletismo brasileiro pode ter um atleta brigando por medalhas no masculino. Neste sábado, a partir das 14h de Brasília, Thiago Braz, que é o atual campeão mundial juvenil da prova, compete em Sopot (Polônia), com chances reais de chegar ao pódio. Seu companheiro de clube, Augusto Dutra, que detinha o recorde sul-americano indoor, vai disputar o Mundial após se recuperar de lesão e tem expectativa menor por resultados.

A chance de pódio cresce porque uma vaga entre os três primeiros foi aberta com a lesão do melhor atleta do mundo e agora recordista mundial indoor. "Sem o Renaud Lavillenie, que era pódio certo, as possibilidades estão bem abertas", comenta Elson Miranda, técnico dos dois brasileiros no Clube BM&F Bovespa.

Na preparação para o Mundial, Thiago bateu duas vezes o recorde sul-americano indoor, com 5,72m e 5,76m, melhorando a marca de 5 71m, que pertencia a Augusto. Este, por sua vez, perdeu praticamente toda a preparação porque sofreu uma entorse no tornozelo direito em Malmo (Suécia), no início da temporada indoor europeia.

Na análise de Elson, a zona de medalha deverá ficar entre 5,80m e 5,90m. "O Thiago vai ter de melhorar um pouco sua marca para entrar na briga pelo ouro, mas está pronto. O Augusto também estava pronto para saltar nessa faixa. A contusão prejudicou a preparação, mas ele tem condições de fazer uma boa prova", garante.

DUDA NA FINAL - Mauro Vinícius da Silva, o Duda, foi o único brasileiro a avançar à final do Mundial de Sopot dentre os que competiram nesta sexta-feira. Atual campeão indoor, ele vai atrás do bicampeonato a partir das 15h50 de Brasília neste sábado. Na etapa eliminatória, foi o sétimo, com um salto de 8 02m.

"Estou meio sem ritmo de competição. Tive algumas lesões, o que acabou atrapalhando um pouco a temporada e a preparação, mas Mundial é isso aí: entrega total. Nessa hora não tem desculpa, tem de ir para cima. Agora, o que eu tinha de errar já errei. A final é outra prova. Vou pegar esse último salto e melhorar", garantiu ele.

Leia tudo sobre: dudaesporteatletismomundial