CBV volta a mudar regras da seleção de vôlei de praia

Depois de sofrer críticas de atletas, Confederação Brasileira de Vôlei decidiu mudar a forma de montar a seleção brasileira

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Nesta temporada, os atletas se apresentam como time e os técnicos da seleção convocam as parcerias
Divulgação
Nesta temporada, os atletas se apresentam como time e os técnicos da seleção convocam as parcerias

Depois de ser alvo de críticas de diversos jogadores, que não gostaram de ter que atuar no Circuito Mundial com parceiras que não escolheram, a CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) decidiu mudar a forma de montar a seleção brasileira de vôlei de praia. Para esta temporada, os atletas se apresentam como time e os técnicos da seleção convocam as parcerias, e não mais os jogadores.

O formato, confirmado pela assessoria da CBV à Agência Estado nesta sexta-feira, é um misto entre o que perdurou por muitos anos no vôlei de praia e o implantado no ano passado. Até 2012, as duplas se inscreviam nas etapas do Circuito Mundial por conta própria. As melhores ranqueadas tinham lugar garantido. As demais jogavam o "country cota", para definir o último representante do Brasil.

Já no ano passado passou a competir à CBV indicar as duplas que disputariam o Circuito Mundial. Ela optou por convocar oito atletas no masculino e outras oito no feminino e remanejá-las de acordo com a opinião da comissão técnica. Como Juliana foi cortada por discordar do modelo, Maria Elisa, sua parceira, jogou o Circuito Mundial a contragosto com Ágatha. Bárbara Seixas foi unida a Lili. As duplas Taiana/Talita e Maria Clara/Carol foram mantidas.

No masculino, a técnica Letícia Pessoa combinou com os atletas de manter as duplas que disputavam o Circuito Brasileiro. Em duas etapas, fez testes, com Emanuel/Evandro e Alison/Vitor Felipe.

Apesar de criticado por quem teve de jogar com quem não queria, o modelo recebeu muitos elogios. Isso porque, como seleção, os jogadores passaram a ter estrutura da CBV durante as competições contando com comissão interdisciplinar. Assim, o modelo de seleção será mantido em 2014.

A primeira mudança por conta desta nova forma de convocação foi anunciada nesta sexta-feira. Campeões do Circuito Brasileiro, os veteranos Ricardo e Márcio, que chegarão a 2016 com mais de 40 anos, se separaram de novo. Ricardo vai voltar a jogar com Álvaro Filho, reeditando a dupla que foi medalhista de prata no Mundial do ano passado. Da mesma forma, Alvinho abandona a parceria com Edson Filipe.

"Jogamos bem no Circuito Mundial do ano passado e vamos começar essa temporada de maneira diferente, bem ranqueados, mais entrosados e com uma perspectiva ainda melhor. Tivemos um entrosamento rápido e isso ajudou muito, Álvaro é um grande jogador, um talento, e moramos na mesma cidade (João Pessoa), o que facilita bastante na questão dos treinamentos. Temos tudo para formar um time ainda mais forte", afirma Ricardo, que ainda joga mais uma etapa do Circuito Brasileiro e o Super Praia com Márcio.

Outras mudanças anunciadas recentemente se referem à montagem das duplas Emanuel/Pedro Solberg e Alison/Bruno Schmidt. No feminino, Rebecca está grávida e Duda é a nova parceira de Lili.

Leia tudo sobre: volei de praiaregrasesporte