Santos pede inquérito e Odílio se revolta com racismo

Peixe declarou estar "extremamente triste e revoltado" pelo ato de racismo contra Arouca

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Meio-campista do Santos foi chamado de macaco por torcedores do Mogi Mirim
REPRODUÇÃO/SANTOS
Meio-campista do Santos foi chamado de macaco por torcedores do Mogi Mirim

O Santos pediu à Federação Paulista de Futebol (FPF), no começo da tarde desta sexta-feira, pela abertura de um inquérito para apurar o ato de racismo sofrido por Arouca logo após a vitória por 5 a 2 sobre o Mogi Mirim, quinta-feira à noite, ainda no gramado do Estádio Romildo Ferreira, pela 12ª rodada do Paulistão.

Em nota oficial de repúdio ao ato cometido por torcedores da equipe do interior, o presidente em exercício do clube da Vila Belmiro, Odílio Rodrigues Filho, afirmou que o jogo, que deveria ser de festa para os santista, ficou marcado por um "grave ato de violência" contra o volante.

"Em nome do Santos Futebol Clube e da nossa torcida, declaro que estamos extremamente tristes e revoltados contra o ato de racismo sofrido pelo nosso estimado jogador Arouca, na partida de ontem contra o Mogi Mirim. O que era para ser um dia de festa e de alegria, com um belo jogo com cinco gols do Santos e dois do Mogi, inclusive com um golaço do Arouca, ficou para nós marcado por um grave ato de violência", disse o dirigente ao abrir a sua nota oficial.

Em seguida, Odílio destacou que os responsáveis pelos atos racistas contra Arouca deverão ser procurados e punidos. "Atitude de total desrespeito ao ser humano e ao atleta, inadmissível no mundo moderno, onde o preconceito, de qualquer forma, deve ser banido. O Santos repudia veementemente qualquer ato de violência seja verbal ou física, dentro e fora do campo. Essas atitudes racistas não podem e nem devem mais ficar impunes. É crime previsto em lei", prosseguiu o presidente, para depois cobrar: "Estamos encaminhando à Federação Paulista de Futebol um pedido de abertura de inquérito para apuração dos atos de discriminação contra o nosso jogador. Esperamos que o caso seja investigado e que não fique sem punição dos responsáveis".

Leia tudo sobre: santosfutebolesportearoucaracismomogi mirim