Massa diz que Williams ainda tem espaço para crescer

Agora adaptado, Massa admite que primeiros dias na fábrica da equipe foram difíceis, principalmente em relação à língua inglesa

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Massa vai defender a Williams em 2014
REPRODUÇÃO/WILLIAMS
Massa vai defender a Williams em 2014

Adaptado à Williams e mais "relaxado" na Fórmula 1, Felipe Massa aposta que a equipe inglesa ainda tem bom espaço para evoluir na temporada 2014. O piloto brasileiro acredita que, depois do rendimento surpreendente nas três baterias de testes, o carro tem brecha para desenvolvimento, o que deve deixar a Williams em condições de brigar pela vitória já nos primeiros GPs do ano.

"O carro está melhorando dia após dia. No Bahrein, eu não acreditava que poderíamos ter obtido aquele melhor tempo. Mas, com trabalho, estamos evoluindo. Isso mostra que o carro ainda tem muito o que crescer. Há espaço para aperfeiçoamento, muito a ser compreendido. A equipe tem feito grande trabalho até agora", afirma Massa.

O brasileiro não esconde a empolgação com o rendimento e também com a confiabilidade do motor Mercedes, que praticamente não apresentou problemas nos testes da pré-temporada, ao contrário dos carros movidos por motor Renault.

"Estou muito animado, com certeza, porque acho que as coisas serão boas para nós. Acredito que teremos um bom início [de campeonato]. Uma das coisas mais importantes para uma primeira corrida é a competitividade do carro, mas não podemos esquecer a confiabilidade. Isso terá importância chave para o campeonato", diz o brasileiro, em entrevista para o site da Fórmula 1.

A empolgação, no entanto, foi precedida de certa preocupação no início dos trabalhos com a Williams. Os primeiros dias na fábrica da equipe foram difíceis, principalmente em relação à língua, admite Massa. "O sotaque não foi fácil de compreender, porque muitos mecânicos têm origem irlandesa. Eu nunca morei na Inglaterra, então o jeito bem inglês de falar não foi fácil para mim algumas vezes".

Mas dois meses de trabalho com a Williams permitiram melhor adaptação ao brasileiro. "Com os mecânicos, a atmosfera e a mentalidade é completamente diferente. Na Ferrari, por exemplo, o ambiente era bem aberto. Você nunca via um mecânico trabalhando calado. Já os ingleses são muito quietos, muito corretos no jeito como falam com você".

A boa adaptação deixou Massa mais "relaxado", em comparação ao clima que vivia na Ferrari. "A pressão é com certeza menor. Você sempre tem pressão, principalmente se você é competitivo, mas o jeito como você sente a pressão é diferente. A Ferrari é a equipe mais famosa da F1, então a pressão é maior. Aqui eu me sinto relaxado, percebo o respeito que as pessoas têm por mim dentro da equipe. Estou feliz".

Massa reiterou ainda que se sente satisfeito com a mudança de ares na F1, principalmente em relação aos desempenhos da atual e da ex-equipe diante das mudanças técnicas exigidas pelo novo regulamento da categoria. "Foi o momento certo para mudar. Tudo é novo para todos. Todo mundo está começando do zero, então acho que foi a hora certa de mudar. Eu precisava disso, de um novo desafio. E começar trabalhando com pessoas novas me dá motivação extra".  

Leia tudo sobre: formula 1automobilismofelipe massapilotowilliamscrescimento