Hilton enaltece o agronegócio e se preocupa com outros setores

Parlamentar afirma que o Brasil é um sucesso internacional na pecuária e também na agricultura, porém ainda está defasado em relação a metodologia de ensino no país

iG Minas Gerais |

No último dia 27, o líder do Partido Republicano Brasileiro (PRB) na Câmara, deputado George Hilton (MG), ocupou a tribuna para enaltecer o desempenho do agronegócio brasileiro, ao mesmo tempo em que se mostra preocupado com as questões ligadas à Educação e à Segurança Pública. “Ouvimos muitas acusações, mas o Brasil é um sucesso internacional na pecuária e na agricultura. Nos últimos 20 anos, a produção cresceu 221%, mesmo com o aumento de apenas 41% da área plantada. A safra 2013/2104 chegará a 193 milhões de toneladas e, finalmente, ultrapassaremos os Estados Unidos na produção de soja”, afiançou. Segundo ele, “o superávit agrícola literalmente salvou a lavoura brasileira. Somente em janeiro deste ano, as exportações do agronegócio somaram quase U$ 6 bilhões, de acordo com o Ministério da Agricultura. A presidente Dilma esteve na Bélgica para dar mais um passo na consolidação de um acordo de Livre Comércio com a União Europeia, pois, se há mais de uma década a Europa se fechava para o comércio agrícola, hoje, com a perspectiva da liberação das tarifas e graças à audácia dos agricultores, poderemos esperar um grande desenvolvimento no interior do Brasil”, afirmou o republicano. Na avaliação de George Hilton, o desafio, agora, é abrir caminhos logísticos para a riqueza brasileira. Para o deputado, a integração logística entre o Centro-Oeste, o Triângulo Mineiro, a região de Unaí e o Norte de Minas, também representam uma alternativa mais barata para transportar as riquezas agrícolas produzidas no país. “Está mais do que na hora de aumentar a oferta, diminuir o preço dos produtos e conquistar mercados”, afirmou o líder. Educação e Segurança Púbica também seguem em pauta para o parlamentar. “A educação é a chave para a independência. Mas, o nosso sistema educacional público prejudica os mais pobres, cujas famílias não têm tempo para questionar ou mesmo entender como deveria ser a educação, e nem o burocrata se digna a ouvir. Realizamos audiência pública, no ano passado, na qual discutimos as metodologias de ensino no país, e o resultado foi preocupante. Os professores não podem ensinar corretamente se não aprenderem a metodologia comprovada cientificamente”, argumentou o líder. O deputado lembrou, ainda, do problema da Segurança Pública, como um dos gargalos a serem enfrentados. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave