Brasil terá mescla de atletas nos Jogos Sul-Americanos

Delegação formada por 481 atletas em 41 modalidades será composta por uma mistura de promessas do esporte e estrelas

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A menos de 900 dias para a Olimpíada do Rio, em 2016, os atletas brasileiros se reúnem pela primeira vez neste ciclo olímpico para a disputa dos Jogos Sul-Americanos, que começam nesta sexta-feira e vão até o próximo dia 18, em Santiago, no Chile. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) tem como objetivo promover o intercâmbio entre as modalidades e colaborar para que o grupo ganhe experiência para os próximos desafios.

“Os Jogos Sul-Americanos serão a primeira oportunidade de reunirmos o Time Brasil em uma competição multiesportiva dentro deste ciclo olímpico histórico para o nosso país”, afirmou Marcus Vinicius Freire, diretor executivo de esportes do COB.

Com uma delegação formada por 481 atletas em 41 modalidades, o Brasil será representado por uma mistura de promessas do esporte e estrelas do porte de Arthur Zanetti (ginástica), Fabiana Murer (atletismo), Thiago Pereira (natação) e parte do time de handebol feminino campeão mundial. Eles terão a missão de colocar o país na liderança do quadro de medalhas, o que aconteceu apenas em 2002, quando o evento foi realizado em solo nacional. Em 2010, em Medellín (Colômbia), o Brasil ficou na segunda colocação, atrás dos anfitriões. Nas outras edições, a Argentina ocupou o posto mais alto.

“Levaremos ao Chile uma delegação bastante heterogênea, mas muito forte, mesclando atletas consagrados e jovens talentos do nosso esporte. Estabelecemos estratégias diferentes para cada modalidade, em conjunto com suas respectivas confederações”, explicou Freire.

Zanetti, medalha de ouro nas argolas na Olimpíada de Londres e campeão mundial no ano passado, será o porta-bandeira da delegação brasileira na cerimônia de abertura dos Jogos nesta sexta, às 22 horas (de Brasília), no estádio Nacional de Santiago, onde o Brasil conquistou o bicampeonato mundial de futebol em 1962. “Fiquei muito honrado e feliz em ter sido convidado para levar a bandeira do Brasil. É uma emoção legal estar representando o nosso país”.

O chefe da missão brasileira, Bernard Rajzman, explica os motivos da escolha pelo ginasta. “Ele representa o que há de mais valioso em termos de representatividade esportiva. É um medalhista de ouro olímpico, campeão mundial e que merece muito por toda a sua história de vida e de superação”.

Antes mesmo da abertura da competição, nesta sexta serão disputadas provas de natação, caratê e esqui aquático. Valendo vaga para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, no Canadá, em 2015, algumas modalidades dedicam mais atenção para a disputa no Chile. É o caso de handebol, hipismo, saltos e adestramento, hóquei sobre grama, judô, lutas, pentatlo moderno, rúgbi, triatlo, boliche, caratê e esqui aquático.

“Além de classificatório para o Pan, é o primeiro grande torneio que a gente disputa depois do anúncio da volta do rúgbi aos Jogos Olímpicos”, destacou o treinador da seleção masculina, Maurício Coelho. O golfe e o rúgbi integram pela primeira vez uma delegação organizada pelo COB.

O Brasil não participará no basquete por causa de um conflito no calendário e também não competirá no vôlei masculino, futebol masculino e na patinação de velocidade. Os Jogos Sul-Americanos, disputados em Santiago e nas sub-sedes Curauma, Higuerrilas, Quillota e Viña del Mar, contarão com representantes de 14 países (Aruba e Panamá são convidados).

Leia tudo sobre: brasilmesclaatletasjogossul-americanos