Nada de “esconder” problemas

iG Minas Gerais |

Sombra. Campos participou do processo de tombamento do acervo do ex-governador Miguel Arraes
Aluisio Moreira/SEI - Divulgação
Sombra. Campos participou do processo de tombamento do acervo do ex-governador Miguel Arraes

Recife. Pré-candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB) disse ontem que o governo Dilma Rousseff não pode “esconder” os problemas que o país enfrenta para só mostrá-los após as eleições.  

O também governador de Pernambuco voltou a criticar o desempenho da economia e questões como o aumento da concentração de renda nas regiões mais pobres do Brasil.

“É preciso que a gente converse sobre o Brasil, sobre a necessidade de preservar conquistas das últimas décadas, e isso passa por um debate muito sereno sobre o futuro do país. Não se pode deixar para amanhã, para depois de amanhã ou para depois da eleição o que tem que ser feito imediatamente”, disse, voltando a citar números que tem usado para criticar o desenvolvimento brasileiro.

O governador já havia criticado a “falta de transparência” do Planalto quando foi divulgado o PIB de 2013.

O presidenciável do PSB disse ainda que comemorou o fato de o TSE ter tirado do ar uma página dele na rede social, alegando antecipação de campanha eleitoral. “Achei bom. Era uma página fake (falsa). Torço para que todas as outras que são falsas também saiam. Já pedi ao Facebook, por meio de nossa assessoria, que dê um selo de autenticidade à nossa página”, afirmou.

Eduardo fez as declarações em cerimônia na Secretaria de Defesa Social, quando recebeu um pedido inusitado de uma delegada. “Governador, tire uma foto com Dilma, que não é a Rousseff”, apelou a delegada Dilma Tenório, que foi abraçada e beijada pelo socialista.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave