Carnaval e futebol

iG Minas Gerais |

No país da cerveja do samba e do futebol nem tudo é como parece ser. A turma da cerveja vai muito bem, obrigado. Depois de conquistar o mundo com as nossas marcas, partiram para a bebida artesanal e vão dando um show. O Carnaval continua uma das sete maravilhas e se inventando pelos quatro cantos do país. Mas e o futebol? Onde ele se encaixa nesta trilogia? Não encaixa. Está fora de rotação. Os homens que comandam o futebol não conseguem respeitar uma outra tradição tão popular quanto. Jogos no sábado de Carnaval e na Quarta-Feira de Cinzas é desrespeitar a nossa própria cultura. Um grupo de foliões contumaz treinando duro na segunda e na terça de Carnaval, é sinal de que tem algo de errado na terra do samba. Tudo bem que tem jogador que não gosta da folia de Momo, mas e quem gosta? É preciso fazer loucuras, correr risco, gastar muito em pouco tempo, e ainda virar manchete porque se atrasou para o trabalho. Será que é tão importante treinar duro no Carnaval para jogar contra adversários sem expressão em um campeonato pouco atraente? Dispensar os jogadores que gostam de Carnaval traria tanto prejuízo? Não é melhor um jogador cansado do que chateado? O ser humano sabe dar o troco em uma via de mão dupla.

Humor. Gostaria de saber o que tem deixado o técnico Paulo Autuori tão mal-humorado. Sinceramente, não consigo entender. Um profissional competente e privilegiado. Comanda um dos melhores times do futebol brasileiro, atual campeão da Libertadores, ganha bem, e o time vem subindo de produção. É um vencedor, mas precisa saber que a boa educação não tem camisa.

No aguardo. Ronaldinho ainda não jogou bem neste ano. Também não está devendo nada. Tem crédito de sobra. O torcedor atleticano valoriza e tem paciência com seu ídolo. Ele só precisa saber que uma hora a cobrança chega. O desempenho fora de campo tem que ser proporcional ao apresentado dentro das quatro linhas. Do craque, sempre se espera mais que o normal.

Chip. O Guarani está reclamando do primeiro gol do América. A bola realmente não entrou. Mas é um lance difícil para o árbitro. O Mineiro não tem juízes assistentes atrás dos gols, o que dificulta ainda mais. O time de Divinópolis está sentindo na pele o que o América costuma sentir. Que venha o tal chip da Fifa.

Ótimo estádio. Gostei muito do estádio de Muriaé. Acredito que tinha que ser o padrão para todas as cidades que pretendem disputar o Campeonato Mineiro. Não é preciso usar dinheiro público, basta ter vontade e capacidade. Arenas Multiuso vão muito bem no interior. Projetos inteligentes e sustentáveis estão na moda. Vamos aderir.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave