'Tenho três rins e até poderia doar para algum dos meus irmãos'

Em entrevista exclusiva à reportagem de O TEMPO, filha do ex-vice presidente José Alencar fala como se sente por ser "rejeitada" pela família de seu pai

iG Minas Gerais | Jáder Rezende |

Como a senhora recebeu a notícia do reconhecimento da paternidade do ex-vice presidente?

Não estou feliz nem triste. Queria que tudo tivesse sido resolvido quando ele estava vivo. Agora é tudo questão de justiça.

E quanto ao fato da família de José Alencar insistir em recorrer até o fim?

Meu objetivo sempre foi um. Estou há 16 anos nessa luta, agora tudo vai ser diferente. Dei todas as chances para eles resolverem tudo sem mídia. Fiz teste de DNA, mas eles não quiseram fazer. Então, que a justiça seja feita. Dei à família dele a chance de provar o contrário.

Isso te incomoda muito?

Eles afirmam que são íntegros, mas o que estão fazendo comigo não tem nada de integridade. Não me deram nenhuma chance. Se eu estivesse lidando com gente pobre já estaria tudo resolvido, mas há interesses da parte deles.

A senhora chegou a falar pessoalmente com José Alencar, qual foi a sua impressão?

Falei com ele na última campanha do Lula, quando eles estiveram em Caratinga. Os seguranças tentaram me impedir, mas ele me recebeu. Chorei muito, pedi desculpas e disse que era sua filha. Ele me abraçou e afirmou que estava a minha disposição e que daria um jeito.

A senhora afirma que não tem interesse nos bens de José Alencar. A senhora não precisa de dinheiro?

Não tenho uma vida tranquila, tranquila. Me mantenho porque meu filho de 29 anos, que também ganha pouco, uns R$ 1.200, me ajuda. Moro de aluguel e receno R$ 1.700 de aposentadoria. Com os descontos cai para R$ 1.500 e R4 200 gasto com remédios. Claro que com a herança que tenho direito poderia viver melhor e até ajudar meus parentes. Fico chateada porque não pude ajudar a minha mãe, que morreu de câncer há cinco anos. Mas o que Deus mandar está bom.

Os remédios que a senhor toma provocam muitos efeitos colaterais?

Não muito. São remédios para coluna e pros rins. Mas minha saúde está em dia. Tenho três rins e até poderia doar para algum dos meus irmãos, seria uma foram decisiva de provar que também sou filha legítima.

O que a faz ter certeza dessa paternidade?

Minha mãe sempre me disse isso e morreu afirmando isso. E depois, entre os filhos, sou a que mais se parece com ele.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave