Autuori exalta importância de Berola, mas nega usá-lo por pressão

Avante vem sendo bastante acionado pelo treinador, que justifica as oportunidades pelas características do atleta e não pelo clamor da Massa

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Berola já conversou com Cuca, que colocou panos quentes na insatisfação do jogador
Bruno Cantini / Atlético
Berola já conversou com Cuca, que colocou panos quentes na insatisfação do jogador

A Massa pediu, o xodó foi acionado, e, por seus pés, o Atlético saiu de campo vencedor na noite dessa quarta-feira, no Horto, diante da Caldense. O atacante Neto Berola, que andava apagado no Galo, voltou a aparecer e mostrar porque é tão querido pela torcida.

Entretanto, apesar de ter sua importância reconhecida, o jogador não vem sendo usado no time por pressão da torcida, que sempre grita seu nome quando o jogo começa a esfriar. O técnico Paulo Autuori garante que lançou Berola e campo contra a Caldense por uma questão tática.

“Não tem clamor nenhum. A minha leitura foi a seguinte: estávamos perdendo o meio-campo, nos teríamos que usar a velocidade, teria que ser o Berola. Era para manter o meio-campo e a velocidade. Vitórias trazem segurança, jogadores que fazem gol bonito como foi, ganham confiança. O Berola é um jogador importante”, disse o comandante.

Fato é que o caráter treinador da torcida atleticana deu certo, assim como o olhar de Autuori. Berola entrou no jogo e marcou o segundo gol da vitória do Galo, sacramentando o placar de 2 a 0. Antes, no duelo com o Santa Fe, pela Libertadores, semana passada, o avante também foi crucial para o triunfo alvinegro. Ele entrou no segundo tempo e marcou um belo tento, de voleio, o da virada, já que os colombianos saíram na frente. Neto Berola foi usado em oito jogos nesta temporada, dos 11 que o Atlético disputou até aqui, contabilizando compromissos pelo Campeonato Mineiro e pela Libertadores.

Leia tudo sobre: atleticogaloberolatecnicopaulo autuori