Empresário brasileiro preso em avião usa rede social para pedir ajuda

Voo que partiu Xangai está parado há seis horas na cidade de Al Ain, no deserto dos Emirados Árabes, já que o aeroporto de destino, Abu Dabi ficou fechado por horas devido a problemas técnicos

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Segundo Verillo, os passageiros estão sem comida, com os banheiros em
Reprodução/Facebook
Segundo Verillo, os passageiros estão sem comida, com os banheiros em "estado miserável" e sem previsão de decolagem

O empresário brasileiro Josmar Verillo usou as redes sociais nesta quinta-feira (6) para pedir socorro aos passageiros do voo EY 867, da Etihad Airways, empresa área dos Emirados Árabes Unidos, que estão há mais de seis horas a bordo de um avião que seguia de Xangai a Abu Dabi.

A aeronave pousou na cidade de Al Ain, localizada no meio do deserto dos Emirados Árabes, sem a tripulação explicar o motivo.

Segundo Verillo, os passageiros estão sem comida, com os banheiros em "estado miserável" e sem previsão de decolagem. Ainda de acordo com o empresário, aparentemente a companhia está esperando outra tripulação para o avião, "mas não chega e não tem previsão" de chegada.

Aos passageiros, a empresa enviou a seguinte nota: "Estamos conscientes dos problemas enfrentados e estamos tentando corrigi-los o mais rapidamente possível. Nós iremos fornecer uma atualização o mais rápido que pudermos. Obrigado por sua paciência".

Problema

O Aeroporto Internacional de Abu Dhabi teve que suspender, na manha desta quinta-feira, as operações de pousos e decolagens por causa de um problema técnico, informou um porta-voz da empresa operadora do aeroporto.

"Houve forte nevoeiro assim, há alguns desafios operacionais", acrescentou, sem dar mais detalhes sobre o problema.

Ainda segundo informações, todos os voos para Abu Dhabi foram temporariamente desviado para outros aeroportos na região.

As operações já foram retomadas, porém a companhia ainda espera atrasos significativos por enquanto. A previsão é que demore cerca de 24 horas para normalizar a situação.

Leia tudo sobre: Abu DabiAERONAVEVOOEMIRADOS ARABES